logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Ensino-aprendizagem de línguas por meio de recursos digitais: uma nova perspectiva
Autor(es): Aline Akemi Nagata, Noemia Fumi Sakaguchi. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave Material didtico, Digital, Ensino de lnguas
Resumo

A criação de “material próprio” tem sido defendida nos cursos de formação de professores como forma de suprir possíveis déficits dos livros didáticos (LDs). Nesse sentido, os materiais digitais têm servido como subsídio pedagógico de grande valia (Tapscott, 1999; Garbin, 2003; Arruda, 2004, 2011; Prensky, 2006; Kee, 2008; Braga, 2013), principalmente em áreas que demandam um suporte imagético maior –  Geografia, História, Química e Biologia, para citar algumas. Todavia, é preciso lançar sobre esses materiais um olhar crítico, por isso, a presente comunicação tem por objetivo apresentar uma análise realizada em amostra de materiais didáticos digitais oferecidos no mercado para o ensino de línguas, dos quais foram extraídos os princípios que os norteiam, bem como seus avanços e retrocessos, e, a partir disso, propor alternativas para melhor aproveitamento dos recursos digitais. Dizemos isso porque, o mercado editorial parece ter incorporado – literalmente – o conceito de material digital por intermédio dos LDs, oferecendo CDs, DVDs e chaves de acesso para sites com “conteúdo exclusivo” em acompanhamento ao material impresso. E, tendo em vista esse nicho mercadológico em potencial, surgem ainda aplicativos para smartphones e cursos on-line, ambos ressaltando a praticidade e a autonomia do aluno. Contudo, apesar de enfatizarem o uso de novas ferramentas, a análise nos mostrou uma mera mudança da mídia impressa para a digital, com alguma adaptação da primeira para os recursos que a segunda oferece. Do ponto de vista pedagógico, observa-se ainda um resgate do que se considerava “tradicional” no ensino de línguas, mormente o ensino focado na estrutura gramatical e na memorização de vocabulário. Este princípio já se mostrara ineficaz para o aprendizado propriamente dito, porque ele, somente, não oferece insumo compreendido (ver Krashen 1982, Gass, Behney, Plonsky, 2013) para o aluno, é desprovido de contextualização relevante e não oferece possibilidades comunicativas efetivas (ver Larsen-Freeman, Long, 1991, Brown, 2000; Larsen-Freeman, 2000). O apelo se encontra na “roupagem nova”, simplesmente sobre diferente suporte (a tela do computador ou celular) ou formatação (gamificação [McGonigal]). Por fim, buscando fazer bom uso do potencial das ferramentas digitais, assim como sanar alguns dos problemas pedagógicos listados acima, apresentamos ao final, exemplos de atividades para ensino de línguas.