logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Corpo em jogo: tecnologia, memória e ideologia
Autor(es): Greciely Cristina da Costa. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 01/03/2024
Palavra-chave Anlise de Discurso, Jogos eletrnicos, Corpo
Resumo

"Torne-se o rei do morro ou acorde na vala" esse é um dos imperativos com o qual o jogador se depara logo ao entrar no universo do jogo eletrônico Favela Wars. Afetado pelo discurso de guerra que o leva a ocupar o papel de traficante ou o de policial, em favelas do Rio de Janeiro, o sujeito é levado a "experimentar" um ou outro lugar, ambos construídos pela força de um imaginário social que também constrói a chamada realidade virtual, pondo em cena uma imagem da cidade e de suas favelas, de polícia e traficante na disputa pelo controle. Em Battlefield 4, por meio de formas no imperativo tais como "Faça o roubo perfeito", "Lidere sua equipe", "Dispute no mundo de policiais e criminosos", um sujeito universal é enunciado e convocado a fazer, a liderar, a disputar, a estar também no controle. Observamos aí um trabalho incessante da memória discursiva que joga em parceria com a ideologia na produção de evidências. Com o objetivo geral de por em discussão os processos de significação na contemporaneidade que se constituem afetados pela tecnologia em seu funcionamento discursivo e que incidem sobre a formação social, produzindo efeitos de sentido e de sujeito, nossa proposta é refletir sobre a relação entre corpo e tecnologia a partir de pressupostos da Análise de Discurso. Visamos com isso compreender de que maneira o corpo está investido em um processo de significação que pressupõe a relação com a tecnologia, com o espaço e com o sujeito, ambos investidos de sentidos. Para tanto, tomamos como lugar de observação o corpo no universo dos jogos eletrônicos em busca de compreender de que modo corpo e tecnologia se articulam na produção da chamada realidade virtual e como aí se significam e significam certos espaços e determinadas relações sociais a partir do modo como memória e imaginário social se confrontam e atuam nas discursividades desse universo. A análise nos permite entrever a inscrição do corpo em um dispositivo paralelamente à configuração de um espaço de significação que convoca o jogador a ocupar uma posição discursiva específica no corpo em jogo, um corpo que "não escapa à determinação histórica, nem à interpelação ideológica do sujeito [pois]  O corpo não é infenso à ideologia" (ORLANDI, 2012: p. 95).