logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Estereótipos e AD: da análise à teoria
Autor(es): Ana Carolina Nunes da Cunha Vilela-Ardenghi. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 25/02/2024
Palavra-chave esteretipo, pr-construdo, simulacro
Resumo

​A noção de estereótipo é daquelas que, perpassando as fronteiras das mais diversas áreas (Amossy & Pierrot, 2005), pode acabar não recebendo um tratamento específico de nenhuma delas, e funcionar como uma espécie de “etiqueta” genérica para nomear certas cristalizações que circulam na sociedade. Uma decorrência disso parece ser o caráter “bivalente” de que goza a noção (como apontam Amossy & Pierrot, 2005), ora assumida como algo necessário – do ponto de vista cognitivo, por exemplo – ora tomada como uma redução “nociva” e “preconceituosa”. Em meio às discussões sobre o tema a partir do quadro teórico-metodológico da Análise do Discurso (doravante AD), o presente trabalho objetiva apresentar uma proposta para a abordagem discursiva dos estereótipos. Se, por um lado, Amossy e Pierrot (2005) indicam que a noção de pré-construído apresenta-se como um aparato relevante para o estudo dos estereótipos no interior da AD, a intenção aqui é mostrar que eles não se esgotam nela. Para tanto, olharemos neste trabalho para o modo de circulação de um certo estereótipo do Brasil ou, melhor dizendo, de um espaço nacional. Como entendemos, o espaço nacional é uma paisagem “típica” associada a um país, ou ainda, em outros termos, aquilo que é tomado como sendo a melhor representação do espaço físico desse país. No caso brasileiro, historicamente, a imagem construída é a do próprio “paraíso terreal” (Hollanda, [1959]2010) e ela tem particular importância na medida em que, como aponta Chauí (2006), funciona como um “mito fundador”, isto é, uma narrativa que não cessa de ser retomada e que impõe um vínculo interno com um passado de origem que, paradoxalmente, nunca cessa de existir, mantendo-se sempre perene. Nesse cenário, o corpus deste trabalho reúne produções de gêneros variados advindos de dois campos, a saber: turismo e moda. Espera-se poder, a partir daí, avançar em duas questões: as reflexões em torno da noção de estereótipos no interior da AD e, complementarmente, das questões identitárias – mais especificamente, de uma identidade nacional.​