logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Tipologia estrutural dos conectores condicionais do Séc. XVI
Autor(es): Ingridy Inara Perico. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave Funcionalismo , Conectores Condicionais, Estrutura
Resumo

O objetivo principal deste trabalho é investigar os padrões estruturais a partir dos quais os conectores de condição se formam e os tipos de restrições e correlações entre o conceito e a forma. Este trabalho é parte de um projeto mais amplo intitulado “As bases conceituais dos conectores condicionais no português”, cujo objetivo é investigar os padrões de transferência envolvidos na organização estrutural e conceitual dos conectores condicionais em português. Para tanto, o objeto central desta pesquisa fundamenta-se nos conectores condicionais em dados do português do séc. XVI. Especificamente, verifica-se a complexidade morfossintática dos elementos e das construções que podem servir de input para formação dos conectores. Tendo em vista a variedade de estruturas que servem de input para a formação de conectores de condição, este trabalho procura entender em que medida a forma dos conectores é determinada por padrões do tipo de língua, do tipo de relação circunstancial indicada e / ou pelo domínio conceitual base a partir do qual o conector se origina. A perspectiva teórica adotada ao projeto é funcional-cognitivista, com base nos pressupostos da Linguística Cognitiva encontrados em Lakoff; Johnson (1980), Lakoff (1987), Johnson (1987), Geeraerts (2005, 2008), Aarts (2004) e na Teoria da Gramaticalização, como se vê em Heine et al (1991),   Hopper; Traugott (1993) e Bybee (1994).   Para isto, a metodologia diacrônica adotada restringe o lóbulo temporal ao século XVI e conta com os dados coletados no banco online Corpus do Português (FEREIRA, DAVIES, 2006). A análise será feita baseada na crença de que as propriedades dos enunciados são adaptadas aos propósitos comunicativos dos interlocutores e que a língua é usada como meio de comunicação humano em contextos culturais e psicológicos, fator determinante do modo como à língua é estruturada (BUTLER, 2003). A constatação destes dados coletados, preliminarmente, verificará a pertinência da formação dos conectores condicionais e o grau de complexidade morfossintática do conector, elencando e analisando a base conceitual fonte   da qual ele se origina.