logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: A atuação de fatores sociais sobre o fenômeno da concordância nominal
Autor(es): Mara Pereira Mariano. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave concordncia, fatores sociais, modalidade escrita
Resumo

A concordância nominal é um fenômeno variável de realização versus não realização da regra, em que a variante plural [s] é considerada de prestígio, enquanto a variante [0] é estigmatizada. O presente trabalho analisou o fenômeno da concordância nominal entre os constituintes do sintagma nominal em redações escolares de alunos do Ensino Fundamental II de escolas públicas e privadas em quatro bairros diferentes da cidade do Rio de Janeiro. Utilizando do escopo teórico-metodológico da Sociolinguística laboviana, submeteram-se os dados ao programa variacionista GoldVarb-X. Encontraram-se 2.659 ocorrências e apenas 150 não apresentaram a marca formal de número (5,5%). Para este resultado, foi possível observar que atuam sobre o fenômeno da concordância nominal fatores linguísticos e sociais. As variantes sociais estudadas foram: ano de escolaridade, gênero/sexo, localidade, natureza da instituição e faixa etária. Dentre tais variantes, duas se mostraram importantes: localidade e ano de escolaridade. A primeira mostrou que as escolas públicas que ficam em Quintino e Santa Cruz desfavoreceram a regra padrão, enquanto as particulares da Vila da Penha e do Jardim Guanabara – Ilha do Governador – favoreceram a variante de prestígio. Apesar da correlação entre as variantes natureza da instituição e localidade, não se pode afirmar, categoricamente, que esse resultado advenha da natureza da instituição (pública x privada), já que não foi possível controlar a ação dessa variável. Dessa maneira, o resultado aqui encontrado é uma questão relacionada aos bairros estudados, com suas especificidades sociais, econômicas e culturais. Já a variante ano de escolarização mostrou o condicionamento relacionado às séries escolares para o fenômeno. Dessa maneira, foi possível perceber que o 6º e o 7º anos desfavorecem a regra, enquanto o 8º ano favorece. Já o 9º ano apresentou um comportamento neutro, com um discreto desfavorecimento da regra de concordância padrão. Portanto, acredita-se que esta pesquisa pôde contribuir com uma descrição e explicação do fenômeno da concordância nominal na modalidade escrita, mostrando que fatores extralinguísticos também influenciam em fenômenos linguísticos. Além disso, pôde-se notar que a variação da concordância é realmente um fenômeno inerente aos falantes, já que está presente em indivíduos de diferentes localidades, gênero e ano escolar.