logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Sincronia e Diacronia no Primeiro Curso de Linguística Geral
Autor(es): Stefania Montes Henriques, Michelle Landim Brazo. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 22/02/2024
Palavra-chave Saussure, sincronia, diacronia
Resumo

Uma das dicotomias saussurianas mais famosas é, sem dúvida, a de sincronia/diacronia. Entretanto, como todos os outros pares conceituais colocados por Ferdinand de Saussure, a relação estabelecida entre estas duas abordagens não é fixa e nem de fácil delimitação. Neste trabalho, temos o objetivo de mostrar de que maneira é estabelecida a relação entre sincronia/diacronia na teoria saussuriana, pressupondo uma inter-relação entre essas duas perspectivas de análise da língua. Além disso, pretendemos também desqualificar as afirmações de Jaberg (1937) e Varvaro (1966), de acordo com as quais a segunda parte do Curso de Linguística Geral (CLG), dedicada à diacronia, não possui nenhuma inovação nos estudos linguísticos. Partimos da hipótese de que há inovação na Linguística Diacrônica e que ela pode ser encontrada justamente em sua relação com a Linguística Sincrônica e com outra dicotomia, referente ao par língua e fala.

                      Para comprovar nossa hipótese, analisamos o conteúdo do primeiro curso de linguística geral (PCLG). Esse curso foi ministrado de 16 de janeiro a 31 de julho de 1907 e, de acordo com Joseph (2012), sua turma foi composta por seis alunos: Albert Riedlinger, Marie Whittman, A. Alexandroff, George Turner Ford, Louis Caille e Henri Chavannes.   As anotações mais completas desse curso são de A. Riedlinger e foram editadas e publicadas por Komatsu & Wolf em 1996.  

A escolha pelo conteúdo do PCLG justifica-se no fato de que nesse curso Saussure pretendia trabalhar somente com Linguística Diacrônica. Dessa forma, é pertinente afirmar que a maior incidência do conteúdo deste curso encontra-se na segunda parte do CLG. Assim, pretendemos explicitar o conteúdo ministrado no PCLG, enfatizando as relações estabelecidas entre diacronia e sincronia e a consequente inovação, negada por Varvaro (1966) e Jaberg (1937) nas análises saussurianas no âmbito diacrônico.

Para tal, deteremo-nos nas anotações de A. Riedlinger referentes a esse curso, além de utilizarmos as edições críticas do CLG de Tullio de Mauro e Rudolf Engler. As conclusões a que chegamos referem-se à constatação de que não só o PCLG possui inovações importantes na Linguística Diacrônica, como também essas inovações contribuem para o desenvolvimento da Linguística Sincrônica.