logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Estudo grafemático dos vocábulos dos Índios do Uaçá: O vocabulário Galibi de Curt Nimuendajú (1883-1945)
Autor(es): Uisllei Uillem Costa Rodrigues. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave Estudo grafemtico, ndios Galibi-Marworno, Curt Nimuendaj
Resumo

No Amapá, encontram-se povos indígenas oriundos de três grandes agrupamentos linguísticos: Arwák, Karib e Tupí, além de falantes de línguas crioulas (GALLOIS; GRUPIONI, 2003). Atualmente, dentre os povos falantes de uma língua crioula podemos destacar os Galibi-Marworno que possuem como língua materna uma variação do crioulo falado na Guiana Francesa. O presente estudo tem por objetivo propor uma análise grafemática ao vocabulário Galibicoletado por Curt Nimuendajú (1833-1945), disponível na obra Die Palikur IndianerundihreNachbarn (Os Índios Palikur e seus Vizinhos), publicada em 1926. No ano anterior, este etnólogo empreendeu viagem na região do rio Oiapoque, que faz fronteira com Guiana Francesa e com o atual Estado doAmapá;até chegar à região dorio Uaçá onde estabeleceu contatos com os índios da localidade, permanecendo entre os índios Palikur e relacionando-se, também, com os índios vizinhos, alguns deles sem etnônimos, assim como os Galibi que, somente adotaram essa denominação em 1940. Esses índios vizinhos apresentavam uma composição linguística diversificada devido a sua história de constituição enquanto povo. A língua franca utilizada pelos povos do baixo Oiapoque apresenta reconhecidamente diferenças fonéticas entre aquela falada pelos Karipunas. Apesar de saber-se que existem diferenças em aspectos fonéticos e lexicais entre o crioulo indígena e negro da Guiana Francesa não há, ainda, estudos aprofundados sobre este crioulo que prevaleceu em uso em detrimento de outras línguas usada pelos Galibi-Marworno.Na ocasião Curt Nimuendajú conseguiu coletar um extenso vocabulário dos Palikur, outros dois menos extenso dos Galibi e dos Aruã, além de dois itens lexicais dos Maraon.Neste estudo, o vocabulário Galibi, é analisado considerando a transcrição adotada por Nimuendajú para este registro e a relação com asua língua materna, o alemão, bem como alarga experiência desse etnólogo nos registros de língua indígenas. A análise grafemática é a etapa inicial para o estabelecimento de um sistema fonológico tentativo da língua que foi falada pelos Galibi-Marworno no início do século XX e suas peculiaridades, a fim de se aprimorar os estudos sobre as línguas indígenas do Amapá e sua história.