logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Usos modais dos verbos DEVER e PODER no português do Brasil sob a luz da GDF
Autor(es): Lisngela Aparecida Guiraldelli, Ana Maria Paulino Comparini. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave Verbos Modais, Modalidade, Gramtica Discursivo-Funcional
Resumo

Entendendo a modalidade como uma categoria que considera a expressão da subjetividade do falante, o discurso e o contexto em que está inserido, este trabalho fez opção pela tipologia das modalidades postulada por Hengeveld (2004) e Hengeveld e Mackenzie (2008), por se tratar de uma classificação funcionalista que identifica todos os campos semânticos que podem ser expressos pelos verbos dever e poder e que classifica as modalidades em função da fonte e do alvo de instauração dos valores modais, ou seja, os interactantes desempenham papel primordial nessa classificação. Hengeveld (2004) e Hengeveld e Mackenzie (2008) classificam as modalidades segundo dois parâmetros: o Domínio Semântico de Avaliação e o Alvo de Avaliação. No primeiro, considera-se a perspectiva pela qual a avaliação é executada e postulam-se os seguintes tipos de modalidade: Dinâmica, Deôntica, Epistêmica, Volitiva e Evidencial. No segundo parâmetro, considera-se alvo da avaliação a parte da sentença que é modalizada e distinguem-se os seguintes tipos de modalidade: orientada para o participante, orientada para o evento e orientada para a proposição. No âmbito deste trabalho, interessa-nos, especialmente, a análise dos valores semânticos deôntico, dinâmico e epistêmico que podem ser expressos pelos verbos dever e poder, sustentando a hipótese de que é possível caracterizar sintática e semanticamente tais domínios de avaliação modal expressos por estes verbos. O córpus de análise selecionado é constituído por ocorrências reais de língua escrita. O material foi organizado pelo Laboratório de Lexicografia da Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara e composto por textos jornalísticos, literários e técnicos. Uma análise preliminar dos dados confirma a hipótese levantada, apresentando os seguintes resultados: o verbo dever atua em português somente como verbo auxiliar, expressando valores modais deôntico e epistêmico. Já o verbo poder pode ter usos como pleno ou como verbo auxiliar, expressando os valores modais dinâmico, deôntico e epistêmico.