logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: O sujeito urbano e a notícia impressa: novos percursos de leitura
Autor(es): Telma Domingues da Silva. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 01/03/2024
Palavra-chave efeito leitor, discurso urbano, tecnologiaa da linguagem
Resumo

Jornal implica em uma determinada organização de um escrita específica, a jornalística (discurso   jornalístico), mas o jornal é também um monumento no sentido de seu funcionamento dele enquanto representante da prática   e da instituição da imprensa. Assim, compreendendo o jornal como texto enquanto unidade imaginária (o texto como monumento e não como documento), pergunto-me sobre os sentidos de jornal hoje, momento em que a prática do jornalismo escrito lida com as "diferentes plataformas" (o jornal impresso e o jornal on line).

A formulação jornal produz sentidos para a relação do cidadão (sujeito urbano) com o acontecimento e o processo histórico, através da notícia. A prática do jornalismo on line implica uma demanda mais efetiva de espaço de fala para o leitor, que passa a se inscrever como comentador de um modo específico, muito diferente do que ocorre com a sessão Cartas do leitor nos veículos impressos.

Duas questões serão exploradas nessa apresentação, em relação a essa transferência do jornal como texto-momunento, de uma prática de jornalismo  impresso (através de empresas como o JB, a Folha e o Estado) para o digital. Primeiramente, na relação do sujeito com o espaço urbano, o jornal on line inscreve-o no espaço digital, que tem suas especificidades (materialidades, condições de produção...) e produz diferentemente os efeitos de acesso à informação e, portanto, produz diferentemente este sujeito enquanto "sujeito informado".   Em segundo lugar, procuro discutir nos diferentes modos de produção de uma unidade jornal, modos específicos de textualização da notícia, compreendendo que esta se produz na relação com o sujeito enquanto cidadão.

A tecnologia digital demandou das empresas jornalísticas, como as empersas citadas acima, por exemplo, um re-investimento sobre o corpo do jornal, de modo a que seu leitor (que, para a empresa, é o "consumidor de notícias") possa continuar identificado a tais empresas, em suas histórias no jornalismo brasileiro.