logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Estudo de unidades fraseológicas em corpus oral e escrito do português e do francês: a Culinária sob a lente da Linguística de Corpus
Autor(es): Renata Maria Odorissio. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave Fraseologia, Lingustica de Corpus, Estudo contrastivo
Resumo

O estreitamento do diálogo entre a Lexicografia, a Linguística descritiva e a Linguística de Corpus tem se mostrado frutífero tanto dentro como fora do Brasil (Teixeira, 2008; Ortiz Alvares; Unterbäumen, 2011).

Partindo dessas perspectivas, desenvolvemos um estudo contrastivo entre unidades fraseológicas extraídas do português e francês, sob o recorte da linguagem culinária. A questão motivadora é a complementariedade entre a oralidade e a escrita numa linguagem de especialidade, considerando que a Lexicografia enfatiza o emprego de materiais escritos em suas produções.

Tagnin (2011, p. 280-281) cita seis corpora de importância e apenas um, Corpus do Português, possuí conteúdo oral. Santos (2014) também apresenta um gráfico do corpus Gramateca, dando a proporção do material oral, em contrapartida ao conteúdo. Salienta o fato de se tratar de diálogos de obras literárias compiladas e não transcrições de atos comunicativos reais.

Inicialmente realizamos a compilação dos corpora em português e em francês: para cada idioma, há um corpus oral transcrito de vídeos de culinária disponibilizados em rede e um corpus escrito, composto por receitas escritas relativas aos vídeos.

Aplicamos o conceito de chavicidade de Berber Sardinha (2004) para selecionar as palavras-chave do domínio e, posteriormente, as unidades fraseológicas. Essa coleta é semiautomática, auxiliada pelo concordanciador livre Unitex (Paumier, 2002). Exemplos de fraseologias do português: “sal a gosto”, “ponto de bala”, “claras em neve”, “fogo médio”, “manteiga com consistência de pomada”, “napê espesso”.

Essa triagem é parte da elaboração de uma listagem de “unidades de significação” (Teixeira, 2008) para cada corpus, e será o foco de análise da pesquisa.

 Ainda que existam gêneros preponderantemente orais ou escritos, para Santos (2014) essa dicotomia epistemológica histórica não delimita com precisão esferas independentes, e salienta que as definições de gênero são anteriores ao estudo do oral e do escrito de cada gênero.

É na comunicação oral que eclodem “novidades linguísticas” a serem, ou não, incorporadas pelo registro escrito. O processo de dicionarização de neologismos é prova desse “trânsito” entre tais esferas comunicativas.

Acrescentamos ainda que as definições de fraseologia não tratam dessa ruptura entre linguagem oral e linguagem escrita.

Para Tagnin (2011, p. 277), Fraseologia engloba fenômenos linguísticos relacionados a coocorrência de palavras: expressões idiomáticas, provérbios e fórmulas situacionais como parabéns, Deus me livre, ainda bem, e colocações - por tanto, desde que, em razão de.

Ao final da pesquisa, todo material elaborado será disponibilizado em rede para novos estudos e consulta.

Apoio: CAPES.