logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: REPRESENTAÇÕES IDENTITÁRIAS NA CONSTITUIÇÃO DE UMA ESCOLA E EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA: O CASO DOS PROFESSORES TERENA DO MATO GROSSO DO SUL
Autor(es): Ana Alice dos Passos Gargioni. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave educao lingustica terena, representaes discursivas, agentividade
Resumo

No estudo a ser apresentado nessa comunicação proponho-me a articular alguns apontamentos acerca das tentativas de efetivação de um ensino diferenciado e específico entre os Terena, povo indígena lotado, em sua grande maioria, no Estado de Mato Grosso do Sul. Nesses apontamentos considerarei que os Terena, em intenso contato com a população não indígena local desde o século XVIII, estão inseridos em um contexto plurilíngue e intercultural por excelência. Buscarei evidenciar, mais especificamente, lacunas identificadas no que tange à planificação de uma educação linguística nas escolas Terena capaz de promover o fortalecimento da língua ancestral desse povo indígena. Para tanto, pretende-se analisar representações emergentes a partir de práticas discursivas de um grupo de professores terena acerca (i) da instituição “escola indígena”; (ii) de suas constituições identitárias enquanto docentes que atuam nesse tipo de instituição e (iii) do papel que a língua terena teria no currículo escolar. O corpus investigado constitui-se por dados de pesquisas anteriores (NINCAO & GARGIONI, 2013; GARGIONI, 2014) e foram coletados por meio de entrevistas, questionários e postagens do blog Terena Digital (http://terenadigital.blogspot.com.br/). Esses estudos consideraram o funcionamento social, histórico e ideológico inerentes à implantação de políticas linguísticas e educativas, bem como as possibilidades de negociação de comunidades minoritárias com vistas ao seu empoderamento (CANAGARAJAH, 2005). Considerou-se, além disso, o vínculo estreito entre intervenção linguística e políticas de identidade (MAHER, 2011). Esses pressupostos teóricos embasaram os estudos anteriormente referidos por acreditarmos que o envolvimento e participação da comunidade indígena local, aliado a ressignificações do ambiente institucional escolar e de medidas educativas, podem estabelecer (novos) modos (próprios) de identificação, afirmação, organização e autodeterminação do povo Terena. A análise dos dados referentes às representações identitárias dos próprios professores Terena apontam para posicionamentos antagônicos coexistentes. Por vezes, eles são representados como intelectuais da cultura local capazes de propiciar a transformação da Escola indígena em um lugar de reflexão e constituição de saberes e de fortalecimento da língua terena. No entanto, em algumas instâncias, esses mesmos professores são percebidos como docentes sem qualquer possibilidade de protagonismo e agentividade no que se refere às políticas linguísticas e educativas de suas comunidades.