logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: A pontuação em notícias e relatos em diário produzidos por uma criança
Autor(es): Pascoalina Bailon de Oliveira Saleh. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 02/03/2024
Palavra-chave pontuao, interacionismo, gneros da ordem do relatar
Resumo

Este trabalho investiga a   pontuação em   notícias e   relatos em diário produzidos por uma criança. Para isso, assume que o processo de aquisição da linguagem diz respeito à mudança da relação da criança com a língua, ou, em outros termos, à trajetória pela qual a criança passa da posição de interpretado pelo outro à posição de intérprete tanto da fala deste, como da sua própria fala (DE LEMOS, 1997; 2001). O motor dessa mudança é a própria língua, que insere a criança em uma estrutura da qual fazem parte o outro, o adulto, como instância de interpretação, e o Outro,   a língua, como   rede de significantes (DE LEMOS, 2001). Em consonância com esse quadro teórico, toma os sinais de pontuação como marcas de um processo de subjetivação no qual a criança passa de interpretada a intérprete da sua escrita (BERNARDES,   2005), as quais revelam a singularidade dessa escrita. A partir de uma visão não representacionista, entende, por um lado, que o modo de enunciação escrito possui um ritmo próprio,   que é organizado pela pontuação (MESCHONNIC, 2006; CHACON, 1998); por outro, que são os efeitos de sentido do texto na interlocução, e não a veracidade dos fatos ou a autenticidade das intenções do narrador/autor, que caracterizam os gêneros sob análise (SIGNORINI, 2006; SALEH, 2005). Dessa forma, analisam-se notícias e   relatos em diário produzidos por uma garota de classe média, cujos pais possuem nível elevado de letramento. As produções cobrem dos 5 aos 12 anos de idade, e aconteceram tanto em ambiente familiar como escolar. Privilegiando a abordagem qualitativa, buscam-se nos usos da pontuação indícios (GINSBURG, 1989; TFOUNI, 1992; ABAURRE, 1995) que permitam compreender a relação da garota com a escrita e detectar tanto singularidades como regularidades relacionadas a sua forma de pontuar textos esses gêneros, especialmente no que diz respeito à configuração das instâncias autor e narrador. Para isso, leva em consideração o texto como um todo e, sempre que possível, as suas condições de produção. (Apoio: PNPD Capes)