logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Sobre Epistemologia, Esclarecimento e Emancipação Política: o que nos diz Popper e o que nos diz Pêcheux
Autor(es): Maurcio Beck. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave Epistemologia, Emancipao, Sujeito
Resumo

 Conhecemos Michel Pêcheux no Brasil, sobretudo, por meio da Análise de Discurso, dispositivo teórico e analítico formulado pelo círculo de intelectuais em torno deste filósofo francês, na segunda metade do século XX. Contudo, há uma outra face do trabalho acadêmico pecheuxtiano, muitos destes assinados com o pseudônimo de Thomas Herbert, que é menos conhecido ou menos frequentemente mobilizado no campo dos estudos linguísticos. Trata-se de suas reflexões no campo da epistemologia da ciência em imbricação e concatenação com a história das práticas científicas e suas condições materiais de existência. Nesta comunicação, buscarei apresentar as posições teóricas do filósofo materialista diante das questões mais candentes na produção do conhecimento científico. Para tanto, se fará necessário, fazer rápidas alusões à Bachelard, Canguilhem e Althusser e suas elaborações no campo epistemológico: a teoria do corte epistemológico, a definição de problema, objeto e método nas respectivas ciências, a espinhosa diferenciação entre ideologia e conhecimento científico. Para efeito de contraste, apresentarei as posições de um epistemólogo muito distante do materialismo histórico de Pêcheux. A saber: Sir Karl Popper e seu ceticismo epistemológico, cuja produção de conhecimento se daria unicamente ancorada por meio testabilidade/falseabilidade das teorias científicas. Uma vez que essas questões teóricas carregam em seu bojo uma questão política - trata-se de pensar a emergência de processos históricos de reprodução/transformação dos sentidos, além dos movimentos e reposicionamentos dos sujeitos em suas relações desiguais - , acredito que este trabalho de cotejo e contraste permitirá avançar na problematização da tradição do esclarecimento visando a emancipação política (vertente idealista) ou da emancipação política que pressuporia uma (cons)ciência de classe esclarecida (vertente materialista). Todas estas questões e não deixam de perpassar o cerne da Análise de Discurso, isto é, aquilo que é próprio ao funcionamento do discurso em imbricação com o ideológico e que engendra o (efeito) sujeito e o (efeito de) sentido.