logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Narrativas Transmídias: um novo letramento para o Ensino de Literatura
Autor(es): Bruno Cuter Albanese. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave Narrativa Transmdia, Novo Letramento, Ensino de Literatura
Resumo

Os novos letramentos, tais quais postulados por Lankshear e Knobel (2007), tornaram-se centrais na discussão sobre ensino de línguas. No entanto, pouco ainda se discute sobre os novos letramentos no contexto do ensino de Literatura. Esta disciplina, como os próprios Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) indicam, parece resistir ao advento das novas tecnologias e a sua hibridização com outras formas de linguagem. Encontra-se nos PCNs que o ensino de Literatura deve ser pautado única e exclusivamente na leitura solitária e silenciosa do texto literário, a fim de alcançar a criticidade através da fruição estética. No entanto, essa maneira de trabalhar com a literatura vem indicando há muito uma necessidade de se repensar as práticas de trabalhar o texto literário em sala de aula. Sendo assim, o objetivo deste trabalho é repensar a forma como as narrativas transmídias podem se consideradas como um novo letramento para o ensino de Literatura. Como Lankshear e Knobel (2007) apontam, um novo letramento é uma prática que envolve uma nova técnica, mas principalmente que promove um novo ethos, ou seja, um novo posicionamento perante o processo de aprendizagem. Para isso, propusemos uma pesquisa-ação com dezesseis alunos de uma classe do nono ano de uma escola da rede particular de ensino, em que os alunos adaptaram o livro “Senhora” para uma versão de curta-metragem. Foram realizadas e gravadas em vídeooficinas sobre a linguagem cinematográfica e oficinas para a produção do roteiro. A produção do curta-metragem propiciou diversas mudanças de posicionamento nas práticas de ensino de Literatura. A primeira delas é que os alunos leram colaborativamente a obra. As videogravações mostram momentos de leitura em conjunto, em que os alunos discutiram os significados da obra, selecionaram o que achavam relevante da história para a construção do curta e, ainda, pensaram em formas de como adaptar o conteúdo do livro para os dias de hoje e para a linguagem cinematográfica. Seguindo essa linha, os alunos também mostraram um novo posicionamento frente ao texto literário ao não procurarem passar para o curta-metragem as interpretações canônicas da obra, como se costuma fazer com o texto literário em sala de aula, e se sentiram livres para reinterpretá-la de modo que fizesse sentido para a realidade em que vivem. Dessa forma, tornou-se claro que as narrativas transmídias permitem o uso de uma nova técnica, como também promovem um novo ethos, portanto, podemos considerá-la um novo letramento para o ensino de Literatura.