logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: As construções de tópico marcado no gênero textual
Autor(es): Carolina da Silva Alves, Nathlia Vasconcelos Cardoso Rodrigues. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave Construes de Tpico marcado, Escrita culta brasileira, Morfossintaxe do Portugus
Resumo

O crescente interesse acerca das estratégias de construções de tópico marcado no Português Brasileiro (PB), tanto na modalidade oral quanto na modalidade escrita, tem motivado a realização de inúmeros trabalhos (cf. VASCO, 2006 ; ORSINI e VASCO, 2007; ORSINI e PAULA, 2011; ORSINI, 2012). Tais estudos empíricos apontam serem as construções de tópico marcado próprias da gramática da fala. Entretanto, observa-se que essas estruturas têm se inserido,ainda que com baixa frequência, em textos escritos, reflexo das mudanças morfossintáticas em curso no sistema. O presente trabalho objetiva, portanto, investigar em que medida as construções de tópico marcado começam a se implementar na escrita culta brasileira, utilizando como corpus 100 cartas de leitor, publicadas no jornal O Globo, no interstício 2009-2014. Ademais, pretende-se identificar fatores estruturais, textuais e sociais que possam favorecer a ocorrência desse fenômeno. A pesquisa fundamenta-se na associação dos pressupostos da teoria da mudança linguística, apresentados por Weinreich, Labov e Herzog [2006(1968)] ao modelo formal da Teoria de Princípios e Parâmetros descrito por Chomsky (1981), focalizando de forma particular a questão do encaixamento, visto serem a frequência e as características das construções de tópico marcado no PB decorrentes do seu comportamento em relação aos Parâmetros do Sujeito Nulo e do Objeto Nulo. Na literatura linguística, o tópico é definido como um sintagma localizado na periferia esquerda da sentença sobre o qual se faz uma declaração através de um comentário, como se verifica em (1) “[Da parte dos prelados que tocam o dia a dia da Cúria Romana]i, a sensação ___i  é de alívio.", em que o tópico, destacado em negrito, é movido para a esquerda da sentença, deixando uma categoria vazia no interior do comentário. No PB oral, detectam-se quatro estratégias de construções tópico-comentário (Duarte, Berlinck e Oliveira, 2009): (1) Tópico pendente (anacoluto): o tópico não se constitui como argumento do predicador, havendo um elo semântico entre ele e o comentário; (2) deslocamento à esquerda: o tópico é retomado no interior do comentário por um constituinte lexicalmente expresso; (3) Topicalização: o tópico está sintaticamente vinculado a uma categoria vazia presente no interior do comentário; (4) Tópico-sujeito:o tópico ocupa a margem esquerda dos verbos que não projetam argumento externo.   Em última instância, esta pesquisa pretende contribuir para a discussão acerca da constituição da norma culta brasileira, que diverge do que tradicionalmente se denomina norma padrão (cf. Faraco, 2006).