logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Pensando a formação de professores no contexto de inovações tecnológicas relacionadas a LIBRAS: algumas questões de acessibilidade
Autor(es): Juliana Pellegrinelli Barbosa Costa. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave surdo, Libras, Tecnologia Assistiva
Resumo

O objetivo deste trabalho é estudar implicações sociais e linguísticas decorrentes do uso de inovações tecnológicas relacionadas a LIBRAS, por alunos surdos e colaborar com a educação destes sujeitos. As questões levantadas se deram a partir do ambiente de pesquisa do Ensino Superior das Faculdades de Tecnologia do Centro Paula Souza, FATEC, com a colaboração dos alunos do Curso de Ensino Superior do Instituto Nacional de Educação de Surdos, INES. O intuito foi também repensar a formação de professores para o trabalho com alunos surdos na diversidade de cenários de educação, sob a perspectiva da inclusão. Sabe-se que a respeito da Língua Brasileira de Sinais há representações de conquistas e desafios sendo vivenciadas na contemporaneidade, pensar as relações que se estabelecem em torno dessa língua pode colaborar para que a formação de professores se dê de maneira a discernir sobre as condições de produção do discurso atual atrelado à importância das inovações tecnológicas no cenário da educação e as efetivas práticas nos ambientes escolares. A hipótese norteadora do estudo é de que estas tecnologias, utilizadas por surdos e ouvintes ajudam a difusão da LIBRAS, porém encontram problemas com respeito à falta de acessibilidade, manifestada em temas como: a viabilidade de uso e     a respostas adequadas às reais necessidades linguístico-sociais do sujeito surdo, atravessadas por questões fundantes de educação. A fundamentação teórico-metodológica aborda a questão da inclusão do surdo (SASSAKI, 1991) e das Tecnologias Assistivas, TAs, (BERSCH, 2013). A pesquisa é descritiva e de natureza exploratória, (GIL 1999, 2007), os dados são interpretados a partir da Análise do Discurso Brasileira (ORLANDI, 1987, 1992, 2004, 2005). A pesquisa mostrou que poucos usuários da LIBRAS conhecem e de fato fazem uso destas TAs. Dentre os sujeitos que usam tais inovações tecnológicas há satisfação quanto ao uso, contudo são apontadas algumas críticas pelos próprios alunos surdos.