logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: A TOPONÍMIA DAS LOCALIDADES RURAIS DO MUNICÍPIO DE DOURADOS/MS
Autor(es): Marilze Tavares. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 22/02/2024
Palavra-chave lxico , toponmia, localidades rurais
Resumo

A Toponímia é um ramo da Onomástica que se ocupa do estudo dos nomes próprios de acidentes geográficos físicos e humanos e tem como um de seus princípios básicos a análise da relação entre língua e aspectos do ambiente físico e sociocultural. Pesquisas já realizadas sobre a toponímia de Mato Grosso do Sul (Tavares, 2004, por exemplo) evidenciaram que aspectos do ambiente físico têm sido verificados mais recorrentemente na nomeação de acidentes físicos, enquanto aspectos de natureza antropocultural têm se mostrado mais frequentemente na nomeação de acidente humanos. Foi verificado também, com as pesquisas anteriores, que a influência das línguas indígenas, especialmente do guarani, é significativa na toponímia da região. Ressaltamos, que no que se refere aos acidentes humanos, as pesquisas concluídas anteriormente ocuparam-se apenas dos nomes dos municípios, dos distritos e de alguns povoados. Desse modo, este trabalho, ainda em andamento, se constitui como o estudo de mais um recorte da toponímia sul-matogrossense, e tem como objetivo a catalogação e a análise dos nomes de localidades rurais (fazendas, sítios, aldeias indígenas...) do município de Dourados. Procuramos verificar quais as tendências quanto à motivação e quais estratos linguísticos predominam no conjunto desses topônimos. Seguindo a metodologia adotada para as pesquisas toponímicas de Mato Grosso do Sul (conforme Projeto ATEMS – Atlas Toponímico de Mato Grosso do Sul), para a coleta dos dados que constituem o corpus desta pesquisa, utilizamos como fonte principal o mapa municipal do IBGE (2010) da escala 1:100.000 e para a classificação dos nomes – que se constitui como parte da análise – utilizamos o modelo taxionômico de Dick (1992). A hipótese que estamos considerando é que as características do ambiente físico e as particularidades socioculturais e históricas estarão refletidas no processo de nomeação dos acidentes humanos da região estudada, o que comumente se observa nas pesquisas toponímicas de modo geral, no entanto, já temos verificado, como resultado parcial desta investigação, que predominam motivações antropoculturais (nomes de pessoas e nomes de santos, principalmente).