logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Reflexões sobre noção de virtude nos primeiros dicionários monolíngues de Língua Portuguesa
Autor(es): Amanda Bastos Amorim de Amorim. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave Histria das Ideias Lingusticas, Anlise do Discurso, Dicionrios Monolngues
Resumo

Nesta apresentação, indicamos o princípio de uma investigação na área de História das Ideias Linguísticas, apoiada no arcabouço da Análise de Discurso francesa, sobre verbetes relacionados a patologias e seus respectivos significados nos dicionários de Raphael Bluteau (1728) e Antonio de Moraes Silva (1789), primeiros dicionários monolíngues de Língua Portuguesa. Conforme indica Nunes (2006), os dicionários promovem uma ilusão de estabilização dos sentidos, de forma que estudá-los dentro das bases da Análise do Discurso permite analisar o dicionário como “produto de práticas exercidas em determinadas conjunturas” (Nunes, 2006: 18). Nesta pesquisa, destacamos como estes dicionários se situam em relação à História da Medicina e suas respectivas formações discursivas. Desta forma, os objetivos específicos desta apresentação são: (i) identificar como os dicionários citados se relacionam ao momento histórico pelo qual a Medicina passa durante o século XVIII; (ii) indicar eixos parafrásticos que permitam compreender como a noção de  virtude  influencia as concepções de  norma  e  desvio. A metodologia aplicada é semelhante à apresentada por Nunes (2006), observando os eixos parafrásticos e analisando o processo de aparição ou não dos verbetes nos dicionários, bem como o movimento de mudanças nas definições. Nesta apresentação, iniciaremos tal construção a partir da influência religiosa na definição de  virtude, patente, em particular, no dicionário de Raphael Bluteau (1728) e como ela influencia a leitura dos verbetes e significados de  norma  e  desvio. Tal reflexão tem sua relevância atestada tanto por colaborar para a explicitação das formações discursivas destes dicionários quanto pelo fato de as noções de  norma  e  desvio  indicarem como serão construídas posteriormente noções de normalidade e patologia, que são concepções fundamentais para estudos que se dediquem a questões de saúde mental, processos de patologização e despatologização, bem como pela relação entre a História da Medicina e a representação de termos clínicos nos dicionários monolíngues.