logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Francês sem Fronteiras (FsF) na Escola Politécnica da USP: aquisição do léxico específico de engenharia para a comunicação em contexto acadêmico na França
Autor(es): Heloisa Brito de Albuquerque Costa. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave francs para engenharia, unidade didtica, aquisio do lxico de engenharia
Resumo

A preparação linguística em língua estrangeira, desenvolvida nas universidades brasileiras antes da mobilidade internacional para alunos de graduação, tem sido cada vez mais necessária para sua inserção e adaptação no contexto universitário dos países estrangeiros. Relatos de alunos que retornaram de intercâmbio, dados obtidos de programas como o Ciência sem Fronteiras (CsF)  e as pesquisas realizadas na área, mais especificamente, no âmbito do ensino do Francês para Objetivo Universitário – FOU (Mangiante, Parpette, 2011; Carras, 2014; Tolas, 2004) atestam esta necessidade e, em algumas universidades no Brasil, observamos a elaboração e o oferecimento de cursos que integram os aspectos linguísticos, culturais   e acadêmicos envolvidos na formação para a mobilidade internacional. Na Universidade de São Paulo, na Escola Politécnica, desde 2001, os alunos das mais variadas engenharias, inscritos em programas de intercâmbio para estudar em países de língua francesa (Francês sem Fronteiras e Duplo Diploma, por exemplo), desenvolvem uma formação em francês preparatória à mobilidade. Nesta comunicação, nosso objetivo é trazer as etapas metodológicas desenvolvidas junto aos professores de francês da Poli, para a elaboração de unidades didáticas que apresentem como eixo principal o trabalho de aquisição do léxico específico da engenharia.  Em situações de comunicação no contexto universitário, como a descrição de uma experiência, o desenvolvimento de um cálculo matemático, a apresentação de um seminário sobre uma temática em particular, discutiremos os critérios de seleção dos documentos autênticos trabalhados, as etapas desenvolvidas em cada unidade didática  e o trabalho de sistematização lexical realizado. Partindo da noção de tarefa (Puren, 2010, 2011; Rosen, 2009), do conceito de competência (Bronckart e Dolz, 2004; Perrenoud, 2004) e dos estudos sobre aquisição do léxico necessário a essas atividades (Mourthon-Dallies, 2008 e Tolas, 2004) apresentaremos as atividades elaboradas para o Módulo Mobilité-France  da Poli-USP e as reflexões ocorridas junto aos professores. A contribuição deste trabalho situa-se no contexto de formação de professores e  de elaboração de programas de ensino de língua francesa para alunos em mobilidade internacional.