logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Papel da Gramática/Fonologia e Variação Fonológica
Autor(es): Seung Hwa Lee. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 24/02/2024
Palavra-chave Vogais Mdias, Fonologia, Variao
Resumo

A variação fonológica envolve mais de uma forma fonética correta a partir de um input dado. A variação fonológica, no entanto, não recebeu atenção nas teorias formais da fonologia (tais como Fonologia Gerativa (Chomsky & Halle, 1968) e Teoria da Otimalidade Clássica (Prince & Smolensky, 1993) desde Estruturalismo, uma vez que os estudos formais da fonologia concentram seu foco nos processos categóricos e na derivação de uma forma fonética correta a partir de um input dado.

Os trabalhos anteriores mostram que as vogais médias na posição pretônica flutuam em relação ao traço [ATR] e ao traço [Alto] no português brasileiro (PB) e essas diferentes realizações fonéticas são resultados de processos fonológicos, tais como Harmonia Vocálica de [ATR], Harmonia Vocálica de [Alto] ou Redução Vocálica – { E ~ e ~ i, o ~ O ~ u}. Estes processos fonológicos aplicam-se opcionalmente, dependendo da região ou do indivíduo, constituindo-se o caso da variação fonológica na posição pretônica. Lee & Oliveira (2006) mostram que as alternâncias das vogais médias do PB trazem problemas tanto para uma teoria de cunho formal quanto para uma teoria de cunho variacionista (Labov (1966, 1969) e Weinreich, Labov & Herzog (1968)) – existe assimetria entre compreensão e produção. Ou seja, o falante nativo compreende as formas fonéticas possíveis da comunidade, mas produz somente uma delas é produzida. Por outro lado, não há espaço para compreender várias formas possíveis para as teorias formais, uma vez que elas se baseiam no modelo de unidirecional para derivar a forma fonética correta.

Este trabalho discute o papel da gramática para dar conta das alternâncias das vogais médias do PB, a partir do modelo da gramática/fonologia proposto por Hale, Kissock and Reiss (2007) e Halle (1983) e argumenta que i) a gramática é unidirecional; ii) a gramática/fonologia explicita as formas possíveis; iii) finalmente, a variação fonológica faz parte da Língua-I (Chomsky, 1986).