logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Nova velha história: a concordância verbal no PB e no PE
Autor(es): Alexandre Monte. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave Concordncia verbal, Portugus brasileiro, Portugus europeu
Resumo

Esta pesquisa visa compreender as diferenças e semelhanças entre o português brasileiro (PB) e o português europeu (PE) no âmbito da concordância verbal de terceira pessoa do plural, correlacionando a variação existente em cada comunidade de fala estudada com fatores estruturais da língua e com fatores sociais (gênero e escolaridade). A pesquisa tem como objetivo, também, discutir o estatuto dessa variação nas duas variedades. Os dados foram obtidos de uma amostra de língua falada da cidade de São Carlos, localizada no interior do Estado de São Paulo/Brasil, e de uma amostra de língua falada da cidade de Évora, situada no Alentejo, sul de Portugal. As duas amostras utilizadas são constituídas de 18 entrevistas sociolinguísticas. Os informantes foram selecionados em função do gênero (9 mulheres e 9 homens) e da escolaridade (6 não alfabetizados, 6 concluintes do ensino fundamental/básico na EJA – Educação de Jovens e Adultos – e 6 concluintes do ensino médio/secundário).   É um estudo norteado pelos pressupostos teórico-metodológicos da Teoria da Variação e Mudança Linguística (WEINREICH, LABOV & HERZOG, 1968; LABOV, 1972, 1994, 2001, 2003). Os nossos resultados com dados do português europeu revelam uma significativa diferença quantitativa em relação aos nossos resultados com dados do português brasileiro. A amostra de São Carlos (PB) é composta de 1.422 ocorrências de terceira pessoa do plural, com 686 ocorrências (48,2%) apresentando a marca formal de plural nos verbos e 736 (51,8%) ocorrências sem a marca formal de plural nos verbos. Em Évora (PE), encontramos um índice muito alto de frequência de concordância verbal de terceira pessoa do plural na fala das pessoas. Do total de 1.440 ocorrências, apenas 100 (6,9%) trazem a variante zero de plural nos verbos, sendo que 1.340 (93,1%) apresentam a marca explícita de plural nos verbos. As diferenças quantitativas e qualitativas encontradas mostram que há uma regra mais consistente do ponto de vista estrutural no PE para a concordância.