logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: ENTRE VELHAS E NOVAS PRÁTICAS DE LEITURA: OS NOVOS LEITORES NAS REDES E SUAS REPRESENTAÇÕES DISCURSIVAS
Autor(es): Clarissa Neves Conti, Pmela da Silva Rosin. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave Anlise do discurso, Representao, Novo leitor
Resumo

Na sociedade contemporânea, dentre as diversas transformações sócio-político-históricas que afetam as formas do discurso, destaca-se o papel das inovações midiáticas e tecnológicas. Nesse sentido, o advento da Web 2.0, que se caracteriza pela possibilidade de participação, interação e criação de conteúdo de modo colaborativo no ambiente digital, desencadeou a popularização das redes sociais impulsionando a troca de textos, músicas, imagens, e outros conteúdos produzidos por seus usuários. Assim, pode-se dizer que a evolução tecnológica tem um impacto significativo nas redes discursivas e nas práticas de escrita e leitura, particularmente em relação aos discursos sobre o literário e sobre a leitura, bem como nos objetos e práticas da cultura impressa. Entre os fenômenos que exemplificam esse cenário figura a participação de leitores em blogs e redes sociais, que comentam textos literários que circulam nesses dois ambientes: na tela e no impresso. Dentre esses comentários nos atentamos àqueles publicados em páginas do Facebook dedicadas ao compartilhamento de “frases” destacadas de obras literárias que sofrem processos de seleção e destacamento e em alguns casos são acrescidas de imagens e ilustrações que visam à construção de um texto sincrético, as quais intitulamos de mensagens compartilhadas tendo em vista que as alterações por elas sofridas transformam seu estatuto inicial. Outro exemplo são as resenhas “amadoras” publicadas em blogs, a respeito dos chamados mashups literários, livros impressos que promovem uma mistura entre textos clássicos da literatura nacional com elementos supostamente pertinentes a uma literatura fantástica, como monstros, vampiros e alienígenas. Percebe-se, assim, um momento de instabilidade, onde velhas e novas práticas, bem como velhos e “novos” discursos, encontram-se em convergência e também em confronto, já que as práticas relacionadas ao ambiente digital não raro são vistas como deturpações. Norteados pela articulação dos fundamentos da Análise do Discurso de linha francesa, principalmente naqueles propostos por Michel Foucault acerca da ordem do discurso, isto é, das coerções que ordenam e regem a produção e circulação dos dizeres, e dos princípios da História Cultural da leitura propostos por Roger Chartier, especialmente nos conceitos de suporte, representação e apropriação, buscamos depreender alguns indícios das representações discursivas do novo leitor que se produzem nessa relação entre velhas e novas práticas de leitura e escrita, que por sua vez são um reflexo da convergência entre digital e impresso. (Apoio: CNPQ - Processo 134333/2014-4 / FAPESP - Processo 2014/15965-4).