logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: CASOS DE CRIAÇÃO E REMOTIVAÇÃO DE LEXIAS TEXTUAIS EM JOÃO CABRAL: CRÍTICA SOCIAL, IRONIA E EXPRESSIVIDADE
Autor(es): Rosana Maria SantAna Cotrim. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 22/02/2024
Palavra-chave Criao Lexical , Discurso Literrio, Expressividade
Resumo

No discurso literário, via de regra, as escolhas lexicais buscam resultados estéticos e podem, inclusive, marcar uma época, um estilo. Sobretudo se se tratam de escolhas diferenciadas como as resultantes de criações lexicais. Este trabalho tem por objetivo apresentar  a análise de um tipo específico de criação lexical, isto é, a criação ou remotivação de lexias textuais encontradas na poética de João Cabral de Melo Neto, escritor pernambucano, cuja produção é  teoricamente enquadrada na terceira fase do Modernismo e cuja maior preocupação é a própria linguagem por meio da técnica de superação da dicotomia entre expressão e construção. Com efeito, adotado na esfera literária como um recurso estilístico esse tipo de criação lexical tem sido muito usado a partir do Modernismo. O presente trabalho é parte de uma pesquisa mais ampla que tem como bases teórico-metodológicas a Lexicologia para a recolha das unidades léxicas criadas, a Estilística Léxica para a análise da expressividade e seus efeitos de sentido no discurso literário e o Critério Lexicográfico para a sua atestação. Por essa via, compreende-se que o poeta, ao criar lexias textuais e remotivar algumas já existentes, dentre outras formas de criação lexical presentes em sua produção, promove uma expressividade única capaz de provocar os efeitos de sentido almejados que vão ao encontro simétrico da temática abordada em cada contexto em que se inserem, principalmente pela ironia, pela irreverência, de modo a reiterar o caráter de crítica histórico-social e a qualidade de sua poética. Conclui-se, portanto, que as criações e remotivações de lexias textuais cabralinas corroboram nossa percepção do modo como o poeta concebe a sua atividade poética. Isto é, elas refletem no seu fazer poético a manipulação ou "construção" da linguagem por ele concebida como uma consciência de que a poesia é resultado de um rigoroso trabalho formal e de que a crítica histórico-social só se torna expressivamente relevante em poesia quando consegue mobilizar uma forma escritural também crítica.