logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: O verbo leve "ter": um estudo comparativo entre "ter" e "tener"
Autor(es): Danilo Bonetti Soto. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 29/02/2024
Palavra-chave Programa Minimalista, Verbo leve ter, Verbo tener
Resumo

Esta pesquisa tem como objetivo amplo investigar as construções com o verbo leve ter do português brasileiro (PB), especificamente nas sentenças possessivas, tratadas em (cf. AVELLAR, 2004; AVELLAR & CALLOU, 2007), existenciais (cf. VIOTTI, 1999) e aquelas que o verbo se comporta como um auxiliar (cf. LUNGUINHO, 2011). Partindo do pressuposto que “ter” é um verbo leve, apresentamos três perspectivas de análises para essas ocorrências, e brevemente, um estudo comparativo entre o verbo ter e o verbo tener do espanhol. No que tange esse estudo comparativo, nos perguntamos se o verbo tener também é um verbo leve, e fazemos uma comparação entre as estruturas sintáticas desses dois verbos. A pesquisa se insere no âmbito da Teoria Gerativa, seguindo as propostas desenvolvidas dentro do Programa Minimalista (Chomsky, 1995). Propomos, preliminarmente, rever o papel do léxico nas teorias analisadas, e descrever sua contribuição nas análises mencionadas. A posteriori, investigar as construções com o verbo ter e, subsequentemente, apresentar um estudo comparativo entre ter e tener. Para a análise das sentenças do PB, exporemos as propostas de três autores: Lunguinho (2011), o qual está embasado na Teoria de Princípios e Parâmetros (Chomsky, 1981, 1986) em sua versão Minimalista (Chomsky 1995, 2001); Viotti (1999) que analisa o fenômeno por meio da Teoria de Predicação (Franchi, 1997 ) e do Léxico Gerativo (Pustejovsky, 1995) e, por último, no trabalho Avellar(2004) e Avellar e Callou (2007), os quais se apoiam em uma visão não-lexicalista (Harley & Noyer 2003), dentro do modelo da Morfologia Distribuída (Halle & Marantz 1993). No que concerne o estudo do verbo tener, analisamos o fenômeno com base no trabalho de Viotti (1999). Partindo dessas perspectivas, o trabalho procura responder algumas questões: i) quais propriedades permitem que o verbo ter participe de construções tão variadas e assuma vários significados? ii) qual é o papel do léxico nas perspectivas adotadas? iii) O verbo tener é um verbo leve? Como resultado desse estudo, foi possível observar que o verbo tener pode ser considerado um verbo leve, sobretudo, quanto a gama de significado que esse verbo pode assumir, entretanto, quanto a sua estrutura sintática, veremos que tal verbo mantém sua grade argumental de dois argumentos.