logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: O CORPO DA MULHER COMO OBJETO DE MANIPULAÇÃO MERCANTIL
Autor(es): Vicentina dos Santos Vasques Xavier. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 22/02/2024
Palavra-chave corpo da mulher, anlise do discurso, manipulao mercantil
Resumo

O artigo se propõe a analisar um texto publicitário veiculado na mídia televisiva e internet apresentado por um vídeo da campanha da empresa Óticas Carol com sede na cidade de São Paulo. O filme Terapeuta de 59 (cinquenta e nove) segundos trata da campanha Vogue Eyewear que apresenta diferentes modelos de óculos da marca contemplando tanto o público feminino quanto o masculino. Na análise, será observada a sensualidade e a dominação masculina e o uso da imagem do corpo feminino como estratégia de manipulação mercantil, que na propaganda apresenta-se como imagem estereotipada de mulher - busto grande, pernas torneadas e cabelos longos e esvoaçantes. A análise pretende demonstrar como a inscrição histórica dos sentidos é materializada e a formação discursiva é inscrita e representada no sujeito mulher a fim de que se vendam os produtos oferecidos. Na análise serão consideradas as marcas discursivas nas falas dos sujeitos presentes na cena propaganda e como são estabelecidas as relações do poder simbólico que permeiam a sociedade ideologicamente construída, por meio das constantes formações discursivas envolvendo o sujeito mulher e o atributo beleza. Dessa forma, a ideologia nessa ordem dos discursos será o de produzir evidências, colocando o “homem na relação imaginária com suas condições materiais de existência” ao mesmo tempo em que produzirá evidências, enquanto estrutura-funcionamento, disfarçando “sua existência a partir de seu próprio funcionamento”, dando a ilusão da transparência dos sentidos a partir do apagamento da determinação da formação discursiva e mesmo do interdiscurso (enquanto instância de memória do já-dito), estabelecendo-se que, “a ideologia não é ocultação, mas função necessária entre língua e mundo”. Os estudos contemplarão a Análise do Discurso (AD), tendo como fundamento teórico a Análise do Discurso da Matriz Francesa de Michel Pêcheux (1975), Eni Pulcinelli Orlandi (1995), Sírio Possenti (2001, 2009) e Mary Del Priore (2005, 2007).