logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Selfie: a construção da autobiografia no Instagram
Autor(es): Bruna Caroline Ribeiro Dias. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave selfie, autobiografia, Instagram
Resumo

A sociedade já viveu uma época em que era preciso ficar imóvel ante uma câmera durante longos minutos para fazer uma única fotografia – como no século XIX com os daguerreótipos –, seguida por outra, recente, quando se demorava dias para que uma foto fosse revelada, sem contar o fato de que as pessoas economizavam nas poses para não acabar com o filme fotográfico de uma vez. Atualmente, adentramos com entusiasmo em uma nova era da fotografia: a digital, instantânea e virtual. A partir dessa realidade, esta pesquisa estuda as selfies (consideradas como autorretratos), que fazem parte dessas novas práticas fotográficas, mais especificamente o aplicativo Instagram, que se caracteriza por ser uma rede social de compartilhamento de imagens e vídeos. Como a fotografia é associada à criação de uma narrativa, de uma memória, o objetivo da pesquisa é estudar como essas selfies contribuem para a criação de uma autobiografia que transita entre palavra e imagem, autobiografia e autorretrato e no modo como isso está relacionado ao funcionamento e estrutura do aplicativo. Para isso, as selfies são pensadas de modo interdisciplinar, pela vertente dos novos letramentos, com a contribuição teórico-metodológica dos campos da teoria literária –­ estudos com gêneros autobiográficos (Seligmann, 2002; Lejeune, 2008), da teoria e história da imagem (Barthes, 1984; Fabris, 2004; Gombrich, 2013), por meio das quais se analisa a relação entre sujeito e câmera fotográfica, seu caráter virtual e sua ocorrência histórica, respectivamente. Os resultados e conclusões ainda são parciais, mas já foi possível, a partir da bibliografia consultada, confirmar que os aportes das ciências sociais também se fazem necessários para pensar na relação entre público e privado (Sennet, 1988) e sobre a presença de papeis/atores sociais na realidade de uma sociedade tecnológica (Castells, 1999). Por fim, a combinação de mídias (selfie e autobiografia), que se amparam nos estudos intermidiáticos (Rajewsky, 2012; Clüver, 2007), dão margem aos cruzamentos de fronteiras entre gêneros distintos, como os que são focalizados por esta pesquisa.