logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Um olhar etnolinguístico para designativos de "arco-íris" no centro-oeste brasileiro: contribuições do projeto ALiB
Autor(es): Paola Mahyra de Oliveira Carvalho. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave Norma lexical, Arco-ris, ALiB
Resumo

O homem é sujeito ativo na construção do mundo em que está inserido e se utiliza da língua para transmitir seus conhecimentos, exprimir suas ideias, interagir com o seu grupo e nomear objetos que estão ao seu redor.   Deste modo, as escolhas lexicais de determinado grupo podem refletir aspectos de suas crenças e ideologias, como também características histórico-geográficas do espaço em que vive esse grupo, configurando-se, assim, como especificidades lexicais de uso específico em determinada área e/ou região, ou seja, a norma linguística de um grupo específico. Este trabalho discute resultados parciais de uma pesquisa mais ampla, ainda em andamento, que busca analisar a norma lexical de habitantes da região Centro-Oeste do Brasil, incluindo a relação entre léxico e meio ambiente. Os dados aqui trabalhados foram fornecidos por 108 informantes do Projeto ALiB (Atlas Linguístico do Brasil), oriundos de 24 localidades da rede de pontos do ALiB relacionada aos três Estados da região Centro-Oeste (as capitais e 21 localidades do interior). Para tanto, foi selecionada a pergunta 017 do Questionário Semântico-Lexical/ALiB, vinculada à área semântica fenômenos atmosféricos, que busca designações para o seguinte conceito: “Quase sempre, depois de uma chuva, aparece no céu uma faixa com listras coloridas e curvas. Que nomes dão a essa faixa?”. Com relação ao perfil dos informantes, foram entrevistados oito habitantes por capital e quatro por localidade do interior, distribuídos equitativamente entre os sexos masculino e feminino e em duas faixas etárias (faixa I: 18-30 anos e faixa II: 50-65 anos). Nas capitais são inquiridos falantes com Ensino Fundamental incompleto e também com Curso Superior, enquanto nas localidades do interior são entrevistados apenas falantes com Ensino Fundamental. Para a análise das variantes lexicais catalogadas, levaram-se em consideração as dimensões diatópica, diassexual, diageracional e semântica. O estudo foi orientado, fundamentalmente, pelos princípios teórico-metodológicos da Geolinguística, da Lexicologia e da Etnolinguística. O corpus coletado nas 108 entrevistas relativas às vinte e quatro localidades estudadas totalizou oito variantes: aliança, arco, arco celeste, arco da aliança, arco da velha, arco-íris, escada de anjo e olho de boi. Em todas as localidades pesquisadas predominou a lexia arco-íris, que obteve 100% de ocorrência na cidade de Goiânia e nas cidades interioranas índice acima de 76%. (Apoio: CAPES/FUNDECT. Processo:23200.7622013).