logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: LINGUAGEM E TECNOLOGIAS: A CONSTRUÇÃO DE SENTIDOS PARA O SUJEITO PROFESSOR
Autor(es): Joelma Aparecida Bressanin. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave Linguagem, Tecnologias, Mdias sociais
Resumo

Por meio do dispositivo teórico da Análise de Discurso de linha materialista, propomos refletir sobre a formação docente e a utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) na sala de aula, pensando na sua articulação com as práticas educativas. Na atual conjuntura, espera-se que o educador seja capaz de criar ambientes de aprendizagem que favoreçam uma nova forma de produção do conhecimento, valorizando mudanças sociais e culturais que fazem parte da vida do aluno, em especial, a partir do uso das mídias contemporâneas. Todavia, cabe observar que, diante de muitas possibilidades e benefícios da utilização das novas mídias na Educação, torna-se essencial que o sujeito professor compreenda quais são as implicações dessas mudanças na sua prática pedagógica. Interessa-nos, portanto, refletir sobre a articulação entre o pedagógico, o científico e o linguístico, questionando o político nessa relação (ORLANDI, 2010), ou seja, compreender os processos de significação desses instrumentos no espaço de formação e de ensino, a partir do gesto de apropriação desses instrumentos no espaço escolar. Tomamos como material de análise uma matéria de capa da revista Nova Escola que traz o tema Tecnologia: o que levar para a aula? Queremos analisar como se textualizam os discursos referentes à tecnologia na proposta dessa revista de Educação, dirigida mais diretamente a professores. Nessa direção, vamos observar o modo como a mídia produz um discurso de divulgação científica que apaga, quase sempre, a espessura política daquilo que se ensina e divulga (SILVA; PFEIFFER, 2014), pois consideramos que tomar as novas tecnologias como um instrumento utilitário, reduz o trabalho com o conhecimento ao nível da informação e da pedagogização dos espaços das mídias sociais. Também não tratamos as mídias sociais como meros instrumentos de comunicação, numa abordagem pragmática, que toma a tecnologia como ferramenta aplicada à educação, mas numa abordagem discursiva, enquanto uma relação de sentidos possíveis, o que vai permitir desestabilizar, desnaturalizar a relação referencial entre linguagem e tecnologia (DIAS, 2013).