logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: A SUBVERSÃO DA FORMA NO CONTO “NO CASTELO QUE SE VAI” (1992), DE MARINA COLASANTI (1937 -).
Autor(es): Silmara Ribeiro Moscatelli. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 02/03/2024
Palavra-chave Leitura, Competncia Leitora, Esttica da Recepo
Resumo

A pesquisa em desenvolvimento objetiva investigar a subversão do conto de fadas tradicional no conto No castelo que se vai, de Marina Colasanti, do livro Entre a espada e a Rosa (1992), a fim de explicitar o modo como a autora narra sua história para, através da linguagem, construir seu tema. Além da análise do conto, procedeu-se também a análise de um material de apoio à leitura, elaborado e oferecido pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, em 2012, com o intuito de subsidiar o trabalho dos professores de língua portuguesa, para que estes promovam uma leitura prazerosa e competente. Pretende-se, nessa segunda análise, constatar se o material de apoio em questão contempla, por meio das estratégias de leitura propostas, um estudo da construção linguística do conto e da preparação de um simples leitor para o leitor-modelo, responsável e crítico, capaz de construir o sentido de modo autônomo e de argumentar sua recepção. O procedimento metodológico consta de duas etapas: a primeira corresponde à revisão bibliográfica e ao estudo de pressupostos teóricos sobre a leitura, o texto literário e o papel do leitor no texto literário. Para tanto, a pesquisa se pauta principalmente na teoria do Leitor Modelo, conceito abordado por Umberto Eco (1986) e na Estética da Recepção difundida na década de 1960, por meio das pesquisas de Hans Robert Jauss e Wolfgang Iser. Na segunda etapa a pesquisa tem se dado de forma qualitativa, já que esta permite ao pesquisador ter contato direto e prolongado com a situação que está sendo pesquisada, possibilitando-lhe vivenciar a realidade, fundamentada nos estudos de LÜDKE; ANDRÉ (1986). Para alcançar tal objetivo, decorro da aplicação de um questionário sobre os hábitos de leitura dos alunos, este seguirá com as estratégias de leitura propostas por Bignotto (2012), inspiradas em Isabel Solé (1998). Encerra-se essa investigação com outros dois questionários, um sobre o conto e outro para que os alunos relatem sua experiência com as estratégias desenvolvidas. Assim, procura-se analisar em que medida essas experiências de leitura ampliam o horizonte de expectativas dos alunos para que eles consigam, gradativamente, transformar-se em leitores modelos, com capacidade para atualizar a obra literária de forma consciente e perspicaz.