logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Vozes sociais: lacunas em torno de um conceito
Autor(es): Jos Radams Benevides de Melo. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave voz social, lacuna e reelaborao conceituais, categoria dialgica
Resumo

No campo dos estudos bakhtinianos, tanto no Brasil quanto no exterior, há conceitos e/ou categorias evocados para compor o complexo teórico destinado à compreensão de algum ideologema, como diria Medviédev (2012 [1928]). Um deles  é voz(es) social(is). Em relação a esse conceito, o que se tem visto é um emprego, por assim dizer, “automático”, já que, nos mais variados gêneros acadêmicos, da graduação aos estudos de pós-doutoramento, não se tem dedicado, em sua quase totalidade, uma seção sequer à discussão teórica de voz social. E aqueles que têm se interessado por tal empreendimento se contentam com definições lacunares e generalistas. Diz-se, por exemplo, que voz social é opinião, ponto de vista, apreciação; e isso seria o suficiente para esse conceito/categoria figurar como elemento fundamental dos mais distintos objetos de pesquisa e integrar os procedimentos analíticos que lhes correspondem. Daí, poder-se-ia inferir que tal conceito não precisasse ser objeto de delineamentos teórico-metodológicos; afinal, estaria óbvio o que é voz social e qual o seu papel nas análises de base dialógica. Compreende-se, no entanto, que não há obviedade e que tal conceito não pode ser apenas pressuposto, uma vez que é uma noção essencial, intrínseca, a diversas categorias teórico-analíticas propostas pelo Círculo, o que justifica a necessidade de teorizá-lo. Os vazios voltados à imprecisão do termo abrem espaço para variadas reelaborações teóricas do conceito. Tendo isso em vista, assenta-se o objetivo central desta comunicação: analisar os conceitos de vozes sociais (re)construídos por Faraco (2009) e Bubnova (2011) a partir de suas reflexões sobre os escritos de Bakhtin e do Círculo. O aparato teórico-metodológico que dá sustentação à análise é a filosofia da linguagem postulada por Bakhtin, Medviédev e Volochínov, bem como desdobramentos teóricos relacionados a tal conceito (tais como: poética sociológica, método sociológico, metalinguística). As discussões objetivam, ao promover reflexões sobre as diferentes reelaborações do conceito vozes sociais, contribuir com o debate teórico-metodológico em torno dessa noção no que diz respeito, principalmente, a seu caráter operacional.