logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: A UNIDADE LEXICAL PANTANEIRO: UMA ANÁLISE LÉXICO-SEMÂNTICA
Autor(es): Beatriz Aparecida Alencar. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave Pantaneiro, Pantanal, Lxico Regional
Resumo

Este trabalho tem como objeto de discussão as diferentes acepções da unidade lexical pantaneiro, dentre outras, a atribuída ao homem que trabalha no campo, sobretudo o que atua na lida do gado, tipo humano característico do extremo oeste dos Estados de Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso, na região do Pantanal. A figura do pantaneiro surge com a criação dos latifúndios iniciados pelas sesmarias (séc. XVIII), posteriormente reconstruídos após a Guerra do Paraguai (1864-1870) e fortalecidos a partir do século XX. Dada a importância desse tipo regional no cenário cultural das localidades, como também a polissemia da unidade lexical pantaneiro nesse contexto regional, elegemos essa unidade lexical como objeto de estudo. Para tanto, partimos da sua relação com o homem, o pantaneiro, e o seu habitat, o Pantanal, caracterizando o homem e a natureza e recuperando alguns fatos relevantes da história da localidade. Após essa retomada histórica, discutimos a etimologia da unidade lexical pantaneiro e, na sequência, analisamos dados lexicográficos, utilizando, para isso, informações disponíveis em dicionários antigos, versão online, tais como: Bluteau (1728), Silva Pinto (1832), Moraes Silva (1813); dicionários gerais da língua portuguesa contemporânea: Houaiss (2001), Aulete (2006), Ferreira (2010); glossários sobre o léxico do pantaneiro: Nogueira (2002) e Correia (2001). Foram consultados, ainda, o Dicionário do Brasil Central (ORTÊNCIO, 2009) e A linguagem do homem pantaneiro (NOGUEIRA, 1989). Uma vez levantadas as informações constantes nos verbetes das obras lexicográficas, analisamos a unidade lexical pantaneiro, com os seguintes objetivos: i) verificar a dicionarização da unidade léxica pantaneiro em diferentes fases da língua, demonstrando em que proporção as acepções registradas testemunham os momentos históricos relacionados ao surgimento da figura do peão pantaneiro; ii) comparar as acepções registradas pelos dicionários, estabelecendo relação com a data da publicação das obras consultadas; iii) descrever as diferentes acepções do item lexical pantaneiro e respectiva relação do uso regional dessa forma linguística; iv) verificar a utilização do item lexical selecionado,  tanto em função de adjetivo  quanto de substantivo. Por fim, o estudo busca relacionar léxico e cultura, no caso a regional pantaneira, evidenciando a relação indissociável entre a designação pantaneiro, o tipo humano por ela identificado e o Pantanal. Enfim, buscamos verificar em que proporção a unidade léxica  pantaneiro, a exemplo do (s) referente (s) por que ela nomeia, em especial o típico humano regional, funciona como “testemunho” da cultura da porção da região Centro-Oeste do Brasil coberta pelo bioma Pantanal.