logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Capitu, oblíqua e dissimulada, sob o olhar da semiótica
Autor(es): Geraldo Vicente Martins. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 01/03/2024
Palavra-chave literatura brasileira, veridico, paixes
Resumo

Elaborada a partir das análises dos contos tradicionais russos efetuadas por Vladimir Propp, das idéias do antropólogo Claude Lévi-Strauss e das reflexões sobre a linguagem de Louis Hjelmslev, entre outras, a semiótica discursiva, desde o seu surgimento, preocupa-se em indagar como um texto, independente da linguagem que o veicule constrói o sentido. Apesar dessas contribuições consideráveis advindas de campos disciplinares distintos, desde suas formulações iniciais, a teoria semiótica nunca deixou de se pautar por postulados que se orientam pela fiel observância ao princípio da imanência. Em decorrência da orientação imanentista, ela questiona o tradicional critério da verossimilhança, com o qual se trabalha habitualmente no âmbito dos estudos da literatura, uma vez que enxerga nele uma forma de remissão aos acontecimentos do mundo extralinguístico; em seu lugar, adota o conceito de veridicção, por meio do qual se analisam as relações entre imanência e manifestação sem desconsiderar os limites dados pelo próprio texto. A partir de tal perspectiva, a semiótica observa como os sujeitos inscritos no enunciado, guiando-se pelos elementos do parecer que se lhes apresenta construído por meio da figurativização discursiva, buscam desvelar o ser dos acontecimentos, de modo a reconhecer o que corresponderia à verdade, à ilusão, à falsidade ou ao segredo no universo textual considerado. Orientado por essas formulações, e sem desconsiderar estudos mais recentes sobre o ponto em questão e as implicações deles advindas, o presente trabalho propõe-se a observar algumas passagens do romance “Dom Casmurro”, de Machado de Assis, que tenham como atores centrais Bentinho e Capitu, em situações consideradas determinantes para o desenvolvimento da narrativa, procurando verificar em que medida questões articuladas em torno da problemática da veridicção passam a relacionar-se com a construção de possíveis efeitos de sentido passionais, notadamente os que se vinculam ao ciúme, paixão que sempre se encontra relacionada às discussões sobre a obra machadiana.