logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Variáveis extralinguísticas nos falares do continuum linguístico RJ – BH
Autor(es): Renata Rita Rangel. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 25/02/2024
Palavra-chave sociolingustica, continuum lingustico, varivel independente
Resumo

O presente trabalho se constitui de um recorte do macroprojeto “Carioca ou mineiro: um estudo sobre o falar trirriense”(BARROS, 2013 ) que tem como principal objetivo tecer, através de um estudo fonético-fonológico, características da fala da cidade de Três Rios. Para isso, o escopo teórico deste trabalho está fundamentado pelos pressupostos teóricos da Sociolinguística Laboviana. A metodologia escolhida se constitui de um corpus que abriga entrevistas de informantes de nove localidades investigadas do continuum RJ-BH (Rio de Janeiro, Nova Iguaçu, Petrópolis, Areal, Três Rios, Simão Pereira, Juiz de Fora, Barbacena e Belo Horizonte). Pretendemos, neste recorte, apresentar as variáveis independentes ou extralinguísticas elencadas, bem como o resultado da análise realizada, identificando a relevância de cada variável controlada. Considerando o continuum linguístico traçado, cabe ressaltar a variável localidade como primordial, uma vez que estamos trabalhando realização do S pós-vocálico no continuum dialetal geográfico que se estende do Rio de Janeiro a Belo Horizonte. A variável idade, por sua vez, também é fundamental para identificarmos o teor temporal da variação. Em todas as localidades investigadas, foram selecionados, aleatoriamente, 12 informantes, sendo 6 homens e 6 mulheres, 2 de cada uma das três faixas etárias investigadas: jovens (15 a 25 anos), adultos (26 a 49 anos) e idosos (50 anos ou mais), tal método foi realizado por Oliveira e Silva & Scherre (1996) em seu trabalho sobre o português falado na cidade do Rio de Janeiro. A divisão da idade em três faixas etárias partiu de um critério “semi-intuitivo”, que considerou a força de trabalho dos informantes. Através desse recorte, buscamos, portanto, avaliar as variáveis sociais destacando a primeira como determinante e, no que diz respeito à variável faixa etária, traçaremos uma análise comparativa com o critério descrito acima por Oliveira e Silva & Scherre (1996) com foco na fala do cidadão trirriense.