logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: A TOPONÍMIA RELIGIOSA DA REGIÃO URBANA DO BANDEIRA - CAMPO GRANDE/MS
Autor(es): Priscila do Nascimento Ribeiro, Aparecida Negri Isquerdo. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 22/02/2024
Palavra-chave Toponmia urbana, Religio, Campo Grande
Resumo

Os itens lexicais de uma língua, ao serem recuperados como topônimos, evidenciam o entrelaçamento de condicionantes linguísticos e extralinguísticos, além de refletirem o olhar do denominador no ato da nomeação, logo, podem resultar de uma manifestação individual ou coletiva. Numa perspectiva etnolinguística, o nome do lugar pode traduzir a visão de mundo do nomeador e, consequentemente, revelar traços da cultura de um grupo social, dentre outros, aspectos relacionados a crenças, pois a prática de uma religião é considerada forte elemento cultural de uma comunidade, por isso exerce influência nas atitudes dos seus habitantes, inclusive, na prática de nomeação de lugares. Este trabalho,  recorte de uma pesquisa mais ampla sobre a toponímia de caráter religiosa  de Campo Grande-MS, tem como objetivo discutir mecanismos de nomeação que envolvem a temática da religiosidade no recorte toponímico estudado. Para tanto, estabelece possíveis relações entre contextos linguísticos, históricos e culturais que tenham exercido influências no processo de denominação dos logradouros, cujo sintagma toponímico contenha elemento de índole religiosa. Busca-se, pois, a partir dos topônimos que compõem a Região Urbana do Bandeira  de Campo Grande/MS, averiguar como se dá a preservação de fatores motivacionais relacionados aos campos semânticos da religiosidade e da fé na toponímia urbana estudada. Em termos de planejamento urbanístico, sabe-se que  Campo Grande é dividida em 7 regiões urbanas que, por sua vez, reúnem 74 bairros. A Região Urbana do Bandeira, área contemplada neste trabalho, compreende 11 bairros da região sudoeste da capital sul-mato-grossense. Para a execução do estudo buscou-se orientação teórica na ciência Onomástica, particularmente na Toponímia, nos parâmetros adotados pelo Projeto ATEMS (Atlas Toponímico de Mato Grosso do Sul) e em fundamentos teóricos da Etnolinguística, da Lexicologia e da Semântica, bem como em outras áreas do saber como a História, a Geografia, a Antropologia. O levantamento do corpus (topônimos que nomeiam um total de mais de 7.000 logradouros da cidade de Campo Grande) identificou 182 topônimos cuja estrutura morfológica contém um elemento de caráter religioso. Desse montante, 29 concentram-se na região do Bandeira. Além da abordagem quantitativa do universo de topônimos selecionados, a análise verifica a presença de aspectos religiosos, aliados a fatores históricos na toponímia examinada. Em síntese, o estudo evidenciou que o tema da religiosidade é recorrente no léxico toponímico da região, destacando-se  designativos ligados à tradição católica: Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, rua São Miguel, rua Padre João Delfino, dentre outros examinados.  (Apoio: CAPES/FUNDECT – Processo 23/200.763/2013).