logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Sentidos sobre o MST em jornais impressos de Minas Gerais
Autor(es): rica Karine Ramos Queiroz. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave Jornal Impresso, Anlise do Discurso, Gestos de Leitura
Resumo

Esse estudo, filiado aos pressupostos da Análise do Discurso de linha francesa e brasileira, propõe analisar os efeitos de sentido produzidos sobre o MST, a partir de notícias verbais e imagéticas. Estas foram veiculadas pela mídia jornalística impressa durante os dois primeiros mandatos do governo Lula, de referência no Estado de Minas Gerais, a saber: Estado de Minas e Jornal de Notícias. Para tanto, ancoramos essa pesquisa na noção de Textualização Lacunar – um modo de dizer entendido como um novo discurso que se significa por algo que está faltando (ideologicamente e/ou sintaticamente) e essa falta apaga sentidos que não podem ou não devem ser veiculados. Sequaz ao discurso (im)posto pela mídia impressa, partimos do pressuposto de que a referida mídia ganha credibilidade do público-leitor visto que o padrão de língua culta utilizado pelo jornalismo de referência constitui um artefato para captação do público leitor, de modo a garantir a estabilidade, veracidade e, principalmente, dominância dos sentidos atrelados aos aparelhos ideológicos do Estado. Visto os objetivos supracitados, enfatizamos que a pesquisa será realizada em três fases que se entrecruzam, sendo: fundamentação teórica, recorte do corpus e, finalmente, análise dos dados. Assim sendo, analisamos os recortes das notícias considerando os discursos – constituídos sócio-histórico-ideologicamente – produzidos sobre um não dito que apaga a explicitação das posições-sujeito discursivas, rejeitando outras possibilidades de dizer. Como resultados dessa pesquisa, entendemos que a mídia cristaliza sentidos já-ditos (sentido já-lá: pré-construído), como se aquilo que é dito só pudesse ser dito daquela maneira e, por conseguinte, silencia outros sentidos para evitar a deriva, o deslizamento, o equívoco. Levaremos em consideração a noção da Textualização Lacunar, no discurso jornalístico impresso, a qual possui uma materialidade específica e, diante dessa especificidade, uma pesquisa, como esta torna-se significativa já que explicitará novos modos de ler, novos gestos de leitura sobre a Textualização Lacunar nos jornais impressos. (FAPEMIG)