logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: O ato de dizer entre Babel e Pentecostes: um estudo sobre os usos sociais da escrita na esfera acadêmica
Autor(es): Suziane da Silva Mossmann. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 24/02/2024
Palavra-chave Produo textual escrita, Ato de dizer, Esfera Acadmica
Resumo

A presente discussão tem como tema o fenômeno do letramento na esfera acadêmica e apresenta como delimitação temática a participação de graduandos do Curso de Letras Português da Universidade Federal de Santa Catarina em eventos de letramento característicos da mencionada esfera e desafios concernentes ao ato de dizer, via modalidade escrita, nesses mesmos eventos. Sob tal enfoque, considerados seus desdobramentos, visava-se interpretar analiticamente a caracterização da participação desses mesmos graduandos nos supracitados eventos de letramento nos quais lhes era requerido o ato de dizer, buscando a) identificar implicações da constituição subjetiva dos participantes deste estudo quanto a   esse recorte; b) depreender possíveis ressignificações das práticas de letramento decorrentes da participação nos mencionados eventos; c) identificar desafios e/ou dificuldades no que respeita a especificidades do ato de dizer; d) e caracterizar as demandas acadêmicas em escrita, depreendendo influências da configuração praxiológica das ações de ensino sobre a condição de participação desses mesmos   graduandos. Para tal propósito, este estudo ancorou-se no que se entende como simpósio conceitual, tendo como base os estudos do letramento, com foco no pensamento de Street e teóricos afins, convidando para o diálogo o construto do Círculo de Bakhtin, tanto quanto o olhar fundamentalmente bakhtiniano de Ponzio. A mencionada pesquisa constituiu  um estudo de caso (YIN, 2001) do tipo etnográfico (ANDRÉ, 1995) com abordagem qualitativa de base interpretativista (MASON, 1996). Os dados foram gerados a partir de instrumentos como observação participante, notas em diário de campo, entrevistas e pesquisa documental. A construção de inteligibilidades apontou para movimentos de tensão e de conflitos na constituição dos sujeitos em se tratando de sua participação nos eventos de letramento que têm lugar na esfera acadêmica, considerando experiências de escolarização; inserção em outras esferas; bem como convergências e divergências entre práticas de letramento que os sujeitos carreiam consigo e práticas concernentes à esfera em questão, materializadas nas demandas acadêmicas objeto de estudo. Entendeu-se, ainda, que, a partir das configurações do encontro, como mais monológicos ou mais dialógicos, e de uma escrita tomada como prática social e como ato responsivo, os sujeitos tendem a vivenciar ressignificações de suas práticas de letramento de maneira mais efetiva deslocando-se, nessas condições, no continuum em direção ao polo ser/estar mais insider. Tais ressignificações desencadeiam-se ainda em decorrência de relações estabelecidas por meio de atos de dizer na esfera acadêmica que visam ao desvelamento e à desmistificação das práticas institucionais do mistério (LILLIS, 2001).