logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Uma utopia conjugal: 'Um casamento perfeito', de André Carneiro
Autor(es): Ramiro Giroldo. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave Andr Carneiro, Utopia, Fico Cientfica
Resumo

A comunicação aborda o conto "Um casamento perfeito" (1966), de André Carneiro, à luz da tradição literária utópica. O texto configura um futuro onde os casais são selecionados por um grande computador, por meio da comparação de afinidades de temperamento. A adversidade advinda do contato com o outro se vê abolida, bem como o estabelecimento de uma alteridade positiva, capaz de colocar o eu em nova perspectiva. Contudo, o casal de protagonistas não experimenta tal felicidade da quietude, já que não parece  possuir temperamentos compatíveis.  A abordagem proposta tomará como ponto de partida noções apresentadas por Darko Suvin na obra  â€‹Pour une poétique de la science-fiction​ (1977), a saber: os estudos literários devem encarar a utopia (e sua variedade negativa, a distopia) como um gênero  dotado de paradigmas próprios, entre eles a busca pelo efeito de "distanciamento (ou estranhamento) cognitivo". Este é, para Suvin, o elo entre as utopias representadas nos textos literários e a ficção científica: nessas categorias de texto, há o interesse de provocar no leitor uma visada capaz de  superar ou questionar as deficiências do real. A releitura de Suvin empreendida por Carl Freedman na obra Critical theory and science fiction (2000) será de auxílio, pois leva em conta a fluidez das fronteiras entre diferentes gêneros literários. Na tentativa de melhor delimitar as especificidades do objeto de estudo, a  historiografia da ficção científica será abordada com amparo no estudo Colonialism and the emergence of science fiction (2008), de John Rieder. Segundo este autor, a ficção científica é histórica e esteticamente calcada na tematização da alteridade, metonicamente transfigurada em alienígenas, sociedades futuras, robôs ou  povos desconhecidos, para citar alguns exemplos bastante recorrentes. Trata-se de uma formulação de valia na análise do conto em pauta,  já que "Um casamento perfeito"  explicitamente aborda a negatividade que  pode revestir o contato com o outro, bem como a positividade que pode emergir quando  superado o estranhamento inicial.