logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: À GUISA DE ANTIGOS MODERNISTAS: O PROGRAMA DE INSTALAÇÃO DA PADARIA ESPIRITUAL
Autor(es): Marcos Paulo Torres Pereira. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 25/02/2024
Palavra-chave Antigos Modernistas, Padaria Espiritual, Nacionalismo
Resumo

No estado do Ceará, em 30 de maio de 1892, instaurava-se a Padaria Espiritual, que, nas palavras de Adolfo Caminha, “a julgar pelos estatutos e pela boa vontade dos forneiros constitui um fenômeno e dos mais curiosos deste fim de século”. Oficialmente é a Padaria Espiritual responsável pelo surgimento da estética simbolista no estado, entretanto as ideias apresentadas pelos padeiros (como ficariam conhecidos seus partícipes), em seu programa de instalação, são dotadas de pródomos de um espírito de modernidade que, antes da Semana de Arte Moderna de 1922 em São Paulo, já debatiam – de forma jocosa, é verdade, numa cristalização de riso modernista – a ideia de nação. O programa de instalação, nesses termos, torna-se registro do caráter volitivo peremptório de ruptura defendido pelos padeiros na instauração da padaria quanto à percepção dos moldes europeus de arte – forma e conteúdo – em busca de uma ideia nacional, revelando condicionantes de como as projeções do universo de modernidade evocam uma vinculação de sujeitos à identificação com a representação do nacional e possibilitando uma nova visita à Padaria a fim de se rediscutir a classificação de simbolista à associação. O corte a que nos propomos neste estudo se estabelece não somente por ordem temporal, facilmente compreensível pela ebulição de fatos que assinalam o período; mas por ordem ideológica, ante a efervescência de pensamento, anteriores e ulteriores, que foram fundantes à ideia de moderno em nossas letras; e geográfica, como matiz de corolário identitário da mentalidade nacional. Através de análise comparativa, o estudo objetiva discutir a concepção de espírito de modernidade na história literária do Brasil, tendo como ponto de partida o referido programa, em busca de novas lentes que propiciem a compreensão do conceito de antigos modernistas, cunhado por Francisco Foot Hardman, e dos liames que teceram a mitologia em torno da Semana de Arte Moderna de 1922 e do modernismo paulista que se convencionou como marco inicial de modernidade em nossa literatura.