logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Produção de parafasias no contexto das afasias: evidências para o estudo de processos de categorização
Autor(es): Rosana do Carmo Novaes Pinto, Thalita Cristina Souza Cruz. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 02/03/2024
Palavra-chave parafasia semntica, categorizao, afasia
Resumo

Introdução: As parafasias são fenômenos linguístico-cognitivos geralmente relacionados às afasias, embora as trocas lexicais sejam bastante comuns na linguagem cotidiana. Podem ser caracterizadas como a produção efetiva de uma palavra ou de um som no lugar de outra palavra (ou som) pretendida(o). Têm sido classificadas, em geral, em: i) semânticas: quando há uma clara relação de sentido entre a palavra-alvo (aquela desejada pelo sujeito) e a palavra efetivamente produzida; (ii) lexicais: quando não há uma relação semântica aparente entre elas e (iii) literais: quando a semelhança entre ambas é sonora (fonético-fonológica). As parafasias semânticas e literais são relacionadas, na maioria dos estudos neuropsicológicos, às afasias fluentes. Trabalhos desenvolvidos recentemente no âmbito da neurolinguística de orientação enunciativo-discursiva, como os de Novaes-Pinto (2009, 2014), Novaes-Pinto e Souza-Cruz (2013) e Souza-Cruz (2014) questionam essa abordagem e a classificação vigente e buscam evidenciar que parafasias semântico-lexicais são recorrentes também nos enunciados de sujeitos com afasias não-fluentes. A relação entre a produção de parafasias e o tipo de afasia nos estudos tradicionais decorre da natureza da avaliação, exclusivamente metalinguística, realizada por meio de testes de nomeação. Objetivo: Apresentar e discutir as contribuições das teorias semânticas relativas à categorização para a compreensão das parafasias semântico-lexicais e, por outro lado, a contribuição da análise das parafasias para o desenvolvimento da teoria semântica sobre categorização. Metodologia: Serão apresentados dados de parafasias produzidas por sujeitos afásicos, extraídos tanto de episódios dialógicos ocorridos em sessões do CCA, quanto de protocolos desenvolvidos para eliciar palavras potencialmente sujeitas às trocas. Destacam-se, dentre esses expedientes, a atividade de complementar provérbios e a de exclusão de um elemento lexical em um grupo de quatro itens, baseada no protocolo Luria-Nebraska,  conhecido como  “o quarto excluído. Dados de paralexias (trocas realizadas em atividades de leitura) obtidos em um estudo de caso serão também trazidos para corroborar as hipóteses sobre a relação entre a categorização e produção de parafasias. As análises são de cunho microgenético, paradigma compatível com a abordagem histórico-cultural (Luria, Vygotsky). Discussão: Luria (1986) afirma que sempre há uma motivação sonora, semântica ou de caráter emocional (como nos lapsos) subjacentes às trocas – teoria desenvolvida, sobretudo, a partir dos postulados de Vygotsky sobre a formação dos conceitos. Souza-Cruz (2015) relaciona a natureza dessas trocas à capacidade humana de “categorização”, tema muito relevante no campo dos estudos semântico-lexicais, para a qual os aspectos sócio-culturais têm um papel extremamente relevante tanto no processo de sua formação quanto em sua organização.