logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Os discursos sobre a formação de professores da Educação Básica no Brasil
Autor(es): Luciana Aleva Cressoni. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 24/02/2024
Palavra-chave Discurso, formao de professores, MEC
Resumo

Nosso trabalho tem por objetivo realizar gestos de leitura de materialidades discursivas veiculadas oficialmente pelo Ministério da Educação (MEC) e seus dizeres sobre o que é ser professor de Educação Básica no Brasil a partir de programas oficiais de formação docente. Ancoramos nossa pesquisa na Análise de Discurso francesa, o que nos permite pensar com Pêcheux sobre as condições de produção desses discursos que, pela memória discursiva, são atualizados e nos apresentam, em uma relação de reprodução/transformação, sentidos que nos fazem compreender as possibilidades de exercer a profissão docente na Educação Básica em nosso país. Nosso corpus inicial é o portal Seja um Professor, que, hospedado nos domínios do MEC, se apresenta como uma Campanha Publicitária do Ministério para chamar a atenção dos estudantes do Ensino Médio para os cursos de licenciatura e a possibilidade de ingresso na carreira docente. Nosso corpus discursivo não poderia se ancorar apenas nos dizeres trazidos pelo portal Seja um Professor, os discursos presentes em legislações brasileiras que normatizam a profissão docente também nos auxiliaram a entender as possibilidades históricas de desenvolvimento dessa profissão. A partir do slogan Seja um Professor. Venha construir um Brasil mais desenvolvido, mais justo, com oportunidades para todos, o portal sugere algumas alternativas de navegação que nos levam a representações e sentidos historicamente estabilizados sobre a formação docente. Uma delas é o que Pêcheux (2012) apresenta como a via americana de subjetivação, cujo funcionamento, a partir da noção de self-government, coloca o sujeito professor como responsável tanto pela sua formação, quanto por questões econômicas e sociais do Brasil. Uma primeira leitura da formulação proposta pelo site apresenta, pelo deslizamento de sentido, que o Brasil não é um país desenvolvido, não é um país justo e não apresenta oportunidades iguais a todos os cidadãos e nos perguntamos como esses dizeres se vinculam ao trabalho docente. Nossos gestos de interpretação nos fazem buscar sentidos para ser professor justamente no que não está dito sobre essa profissão. Pela memória discursiva compreendemos possibilidades de sentido para ser professor a partir do trabalho da ideologia na linguagem que o constitui. E ao pensarmos sobre a ideologia e a linguagem pretendemos pensar sobre o simbólico e sua relação com o político na constituição dos sujeitos professores. Buscamos pelos discursos que no trabalho simbólico da linguagem dizem sobre ser professor quando  a língua em sua materialidade parece não dizer.