logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Erros na fala da criança e instâncias subjetivas na sua relação com a língua
Autor(es): Irani Rodrigues Maldonade. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 01/03/2024
Palavra-chave aquisio da linguagem, erros, interacionismo
Resumo

Este trabalho tem como objetivo refletir sobre alguns erros na aquisição do léxico e da morfologia verbal na fala de duas crianças brasileiras, entre quatro e cinco anos de idade, em processo de aquisição da linguagem. Para interpretá-los recorro ao quadro teórico interacionista, em que a interação com o outro é a condição necessária para o processo de aquisição da linguagem, que é concebido como um processo de mudança linguística e também subjetiva. Serão enfocados, aqui, os diálogos em que as crianças reformulam o seu dizer a partir do efeito de estranhamento (ou surpresa) que o erro em suas falas produz na fala do outro. Em etapa anterior desta pesquisa, concluiu-se que a noção de analogia em Saussure, aliada aos processos metafóricos e metonímicos propostos por De Lemos (1992) permitiu que os erros (na aquisição do léxico e da morfologia verbal) fossem interpretados como processos criativos e circunscritos aos acontecimentos linguísticos, que por não serem acolhidos pela coletividade não se tornaram fatos de língua. Argumenta-se, neste trabalho, que esses fenômenos permitem não apenas ilustrar os mecanismos que tratam do funcionamento geral e ininterrupto da linguagem (corroborando uma ideia de Saussure), mas também as instâncias subjetivas, que identificam a posição da criança na sua relação com a língua. A análise dos dados permitiu enfocar duas situações distintas, que são trazidas para discussão: a) aquela em que ao reformular o seu dizer, a condição de escuta para a língua não é sinalizada na fala da criança, apesar de as relações linguísticas serem colocadas em destaque em sua fala e b) aquela em que ao reformular o seu dizer, a condição de escuta para a língua é sinalizada na fala da criança. Observou-se que as duas situações delimitadas ocorreram ao mesmo tempo, colocando em xeque qualquer noção de desenvolvimento mobilizada para explicação de erros na aquisição do léxico e da morfologia verbal.