logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Linguagem na fronteira do Rio Grande do Sul: reflexões e práticas linguísticas
Autor(es): Adriane da Silva Gulart, Thaynara Luiza de Vargas. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 22/02/2024
Palavra-chave dicionrio, fronteira, linguagem
Resumo

O projeto Dicionário Compartilhado de Língua de Fronteira foi desenvolvido pelo grupo PET Letras UFSM em parceria com o Programa Escolas Interculturais de Fronteira (PEIF) e teve suas atividades desenvolvidas no segundo semestre de 2014, na E.M.E.F Otávio Silveira, situada na cidade de Itaqui-RS. Seu objetivo foi construir um dicionário compartilhado com o tema “língua de fronteira”, elaborado por alunos do ensino fundamental. Baseado em “Um outro olhar sobre o dicionário” (Petri, 2010) a proposta foi fazer os alunos refletirem sobre as palavras contidas no dicionário tradicional, sobre os sentidos limitados nele. Assim, possibilitando aos alunos darem outros significados às palavras que nascem a cada dia na região da fronteira. Além da criação do dicionário, objetivou-se promover aos alunos uma reflexão sobre a linguagem utilizada por eles, assim como desenvolver a compreensão do que é um dicionário e de como se constituem os sentidos de cada verbete que constroem a identidade da região. Ocorreram encontros semanais entre os integrantes do grupo PET para planejamento e discussão das atividades. Foi feita uma visita para conhecer a cidade e os alunos, suas situações socioeconômicas e culturais. No segundo encontro, promoveu-se uma sensibilização para instigar os alunos a pensar sobre o que é o dicionário e despertar a curiosidade em relação aos sentidos das palavras e então, a criação de verbetes. Este foi um momento de livre expressão dos alunos, não havendo censura ou corte nos sentidos atribuídos às palavras escolhidas por eles. Utilizou-se também uma rede social de acesso a todos os alunos para a postagem de novos verbetes, conforme fossem criados por eles. É importante ressaltar que o dicionário não se deteve a incluir todas as letras do alfabeto, deixando a critério dos alunos a escolha dos verbetes. Por fim, após o grupo PET reunir-se afim de fazer a seleção dos verbetes, a diagramação e design dos dicionários ficará a cargo de profissionais da área de Produção Editorial. Este projeto resultará em um dicionário com palavras específicas da língua utilizada na região e justifica-se por possibilitar aos alunos e petianos o pensar sobre a linguagem, a valorização das trocas culturais e linguísticas próprias à região fronteiriça. Ao entender a importância de expandir as noções de língua, dicionário e fronteira e ampliar as possibilidades de reflexão dos alunos, podemos concluir o quão significativo foi a oportunidade de tirá-los do pensamento do senso comum, instigando-os a criarem suas próprias ideias e posicionamentos.