logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Imagens e sentidos na Faixa de Gaza: o discurso em rede
Autor(es): CACIANE SOUZA DE MEDEIROS. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave Discurso, Sentidos, Imagem
Resumo

Nesta proposta, nosso objetivo é o de problematizar a demanda noticiosa de sentidos que retomam a imagem do conflito entre israelenses e palestinos na faixa de Gaza em uma construção ideológica ocidentalizada de memória que se caracteriza em um embate por lugar para além da disputa por território. Ancorados na perspectiva teórica e metodológica da Análise de Discurso (AD), especialmente nos preceitos de Michel Pêcheux, tecemos considerações teórico-analíticas sobre a (re)produção de sentidos e a memória   (inter)discursiva constitutivas das imagens sobre o conflito em Gaza   considerando   os   entornos   subjetivos   no   espaço   de divulgação virtual de sentidos (na internet) postos em circulação em portais jornalísticos. A relação da mídia, mais especificamente dos meios de comunicação jornalísticos dados à informação na rede mundial de computadores, com seu lugar social, seus modos de significar e sua relação produtiva afetada por uma determinada constituição ideológica, é um alicerce que nos permite pensar o laço discursivo entre mídia e sociedade como estando permeado por relações interdiscursivas pré-construídas. Consideramos   as   condições   de produção das práticas   jornalísticas, ditas informativas, como parte de uma sociedade tomada pela profusão de imagens. Imagens essas, em sua forma textual, (re)significadas para além dos aparatos tecnológicos que as corporificam. Dar visibilidade a este tipo de(re)produção de imagens é também uma forma de compreender a história e o   funcionamento da imagem como discurso na atualidade. Entendemos que a imagem, como materialidade discursiva, em sua relação social é latente, inegável, singular e não pode ser (des)considerada no âmbito da produção de sentidos e em seu lugar discursivo que cobra, no movimento da história, uma discussão teórica em AD. Sendo assim, o modo como as imagens existem e circulam em nossa sociedade, especificamente no trato midiático de aparescência de sentidos e no modo como esses sentidos ganham corpo na rede, irrompe espaços e (re)constitui memórias que colaboram em uma espécie de orientação discursiva dada à produção de efeitos de sentidos em seu modo/forma de dizer. Em nosso percurso, esta análise se apresenta pela necessidade de avançar em um estudo da imagem e pensá-la na órbita discursiva do tempo presente, da tecnologia e das novas materialidades que se constituem de “velhos” sentidos.