logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Educação Linguística e Formação de Professores Indígenas
Resumo O objetivo deste simpósio é discutir a formação de professores indígenas e o ensino de línguas nas aldeias a partir de uma visão ampliada de educação linguística (Cavalcanti, 2011, 2013). Por esta premissa, o professor que atua no campo da língua(gem) deve ser sensível e atento à diversidade e à pluralidade cultural, social e linguística e às implicações disso para o seu trabalho docente. No Brasil o mito do monolinguismo em língua portuguesa (Cavalcanti, 1999) provoca apagamento e estigmatização das demais línguas faladas em nosso território, dentre elas, as línguas indígenas. Apesar de os povos indígenas terem o ensino de suas línguas assegurado na legislação brasileira, em escolas específicas e diferenciadas, a efetivação desse direito constitui-se em um desafio. Há ainda muito a ser feito na formação de professores indígenas para o ensino de línguas bem como grande necessidade de produção de materiais didáticos específicos para esse fim. Por outro lado, observa-se um desconhecimento do entorno a respeito dessa realidade linguística (Maher, 2007) o que culmina em políticas linguísticas desfavoráveis aos povos indígenas. Essas tensões serão problematizadas nos quatro trabalhos a serem apresentados nesse simpósio. Um dos trabalhos discute as práticas político-pedagógicas em uma escola Kaingang no estado do Paraná, buscando compreender como essa escola lida com sua complexa realidade linguística e em que medida o professor indígena pode contribuir nessa discussão. Os esforços de professores Bororo em uma escola de Meruri no Mato Grosso para a promoção da sua língua e cultura é objeto de outra reflexão. Em outra pesquisa, no contexto Terena do Mato Grosso do Sul, reflete-se sobre o papel do professor indígena na planificação de uma educação linguística nas escolas deste povo, com vistas a promover o fortalecimento da sua língua ancestral. Por sua vez, a formação de professores indígenas Pataxó, Xakriabá, Pankararu e Guarani para o ensino de línguas nas aldeias no contexto do Pibid Diversidade em uma universidade federal do estado de Minas Gerais é objeto de estudo da quarta investigação. A expectativa é que, ao focalizar como o professor indígena transita nas questões que envolvem a língua(gem), esta sessão contribua para o debate sobre a formação docente indígena tanto nas aldeias como nas universidades.