logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Estudos em toponímia: recortes dos estados de Mato Grosso do Sul e de São Paulo
Resumo A Toponímia é uma área de conhecimento que tem como objeto de estudo os nomes próprios de acidentes geográficos físicos e humanos e como um de seus princípios básicos a análise da relação língua-cultura-sociedade manifestada no processo de nomeação. No Brasil, os estudos toponímicos ganharam densidade e impulso a partir da definição de um modelo teórico-metodológico próprio, voltado para a realidade nacional, o que ocorreu com os estudos de Dick (1980, 1990, 1996). Atualmente o maior projeto de estudo da toponímia brasileira é o Atlas Toponímico do Brasil (ATB), sediado na Universidade de São Paulo (USP), ao qual outros projetos regionais estão relacionados, como, por exemplo, o Atlas Toponímico do Estado de São Paulo (ATESP) e os Atlas Toponímico do Estado de Mato Grosso do Sul (ATEMS). Neste simpósio pretende-se apresentar resultados de quatro trabalhos que têm como objeto de estudo o nome próprio de lugar, e são pautados, essencialmente, pelos mesmos fundamentos teórico-metodológicos, isto é, os já mencionados – ressalta-se que uma das participantes deste simpósio é pesquisadora vinculada ao ATESP e as demais, ao ATEMS. O primeiro trabalho apresenta resultados obtidos a partir do estudo de topônimos da região do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR), localizado ao sul do estado de São Paulo, tendo em vista as relações desses designativos com os traços étnico-culturais das comunidades locais. O segundo trabalho aborda a ocorrência de sobrenomes de famílias consideradas tradicionais no conjunto dos topônimos urbanos de Três Lagoas/MS, evidenciando como as relações de poder de uma localidade também podem estar expressas na toponímia. O terceiro trabalho também está voltado para a toponímia urbana e investiga o processo de nomeação de logradouros da cidade de Campo Grande/MS, tendo como objetivo evidenciar em que medida esses designativos são motivados por questões relativas a crenças e preceitos religiosos. Já o quarto e último trabalho tem como objeto de estudo os nomes de localidades rurais (fazendas, sítios, colônias, aldeias indígenas) do município de Dourados e objetiva evidenciar as tendências em relação à motivação e os estratos linguísticos que predominam no conjunto dos topônimos estudados. Dessa forma, os quatro trabalhos estão estritamente relacionados por terem o mesmo tipo de objeto de estudo (um conjunto de topônimos) e por compartilharem os mesmos fundamentos teórico-metodológicos.